www.visitportugal.com

Viana do Castelo - Itinerário Acessível

Mapa de Viana do Castelo - itinerário turístico acessível
Foto: ICVM
Foto: ICVM

À beira do mar, na foz do Rio Lima, Viana do Castelo tem sido reconhecida ao longo da história pela sua importância nas atividades ligadas ao mar, seja pela participação nos Descobrimentos Portugueses dos séculos XV e XVI, seja como porto da pesca do bacalhau que persistiu até aos nossos dias. No geral, é uma cidade com boas condições de acessibilidade, permitindo definir percursos de uma forma inclusiva a todos os que a visitam e uma circulação estável, segura e confortável do turista.

Acompanhe o itinerário com este mapa

Forte de Santiago da Barra (1) – Igreja de Nossa Senhora da Agonia (2) – Igreja de São Domingos (3) – Museu de Artes Decorativas (4) – Navio Gil Eanes (5) – Centro Cultural (6) – Praça da Liberdade (7) – Biblioteca Municipal (8) – Jardim da Marina (9) – Museu do Traje (10) – Praça da República (11) – Antigos Paços do Concelho / Edifício da Misericórdia (12) – Sé Catedral (13) – Igreja da Misericórdia (14) – Basílica de Santa Luzia (15)

Por toda a cidade, o pavimento apresenta-se em bom estado de conservação. O centro histórico, onde se encontra a maior parte dos pontos de interesse, é composto, na maioria, por ruas pedonais, com corredor central em lajes de granito e inclinação reduzida. As passadeiras encontram-se rebaixadas ou niveladas, permitindo uma passagem segura, embora a maior parte não tenha sistemas de sinalização tátil ou sonora. Ainda de referir que, junto ao Rio Lima, nas zonas comerciais e na zona de maior fluxo de trânsito, a estrada é constituída por cubos de granito, o que origina alguma trepidação para quem se movimenta em cadeiras de rodas ou com carrinhos de bebé. À semelhança de outras cidades, as barreiras comercias são comuns, como esplanadas e escaparates à porta das lojas e restaurantes.


Photo: Viana do Castelo © Shutterstock / homydesign

Viana do Castelo tem uma longa frente de rio, muito agradável para passear, mas, no entanto, o turista deverá adotar uma atitude de precaução, devido à ausência de proteções anti queda. Sugerimos um itinerário com início junto ao rio, no Forte de Santiago (1). Protegia a barra no séc. XVI, mas atualmente é um bom miradouro com vista sobre o mar e a cidade ribeirinha. No acesso ao interior, há que ter em atenção o pavimento ligeiramente degradado que provoca alguma trepidação.

Siga pelo Campo da Senhora da Agonia, onde se encontra o Santuário (2), construído no séc. XVII, centro das tradicionais Festas que atraem tantos visitantes a Viana do Castelo durante o mês de agosto. As ruas forradas a tapetes de flores, a Romaria de Nossa Senhora da Agonia, a Festa do Traje, o Desfile dos Gigantones e Cabeçudos, ao ritmo de grupos de bombos, os desfiles no rio e o Fogo de Artifício final são pontos altos de um programa cultural animado, que se prolonga pelo mês inteiro.


Photo: Igreja de São Domingos © C. M. Viana do Castelo

Continue pela Rua General Barbosa, pesando pela Igreja e Convento de São Domingos (3), do séc. XVI, e pelo Museu de Artes Decorativas (4), onde se pode apreciar uma boa coleção de faiança portuguesa antiga, que sobressai entre peças de artes decorativas, pintura e desenho desde o séc. XVI até ao séc. XIX.

Sugerimos seguir até à frente de rio, onde poderá visitar o interessante Navio Hospital Gil Eannes (5), que durante muitos anos deu apoio aos barcos da pesca do bacalhau, recordando igualmente a construção naval da cidade. Neste passeio, passará por exemplos de referência da arquitetura contemporânea, o Centro Cultural (6) da autoria do arquiteto Siza Vieira, a Praça da Liberdade (7) desenhada por Fernando Távora e a Biblioteca Municipal (8), de Eduardo Souto de Moura. O espaço amplo e acessível do Jardim da Marina (9) será uma boa escolha para fazer uma pausa e descansar um pouco antes de prosseguir para o Centro Histórico.

Recomeçamos o itinerário no Museu do Traje (10). A história dos trajes populares usados no durante as festividades de Nossa Senhora da Agonia, em particular no “Desfile da Mordomia”, em que as raparigas desfilam com os seus vestidos tradicionais enriquecidos com fios de ouro em filigrana, um dos mais antigos ofícios, é um aspeto cultural importante na história de Viana do Castelo.


Photo: Praça da República, Viana do Castelo © Shutterstock / Ana Marques

Chegando à Praça da República (11) está no coração da cidade. Com origem no séc. XVI, encontram-se aqui os antigos Paços do Concelho (12) que D. Manuel I mandou construir, a Casa e Igreja da Misericórdia (14), do séc. XVII-XVIII e a Sé Catedral (13), Igreja Matriz de Viana do Castelo, construída no séc. XVI com elementos românicos e góticos, que vale certamente a pena visitar. A ter em atenção que perto da Sé, algumas ruas requerem um esforço maior devido à ligeira inclinação, como é o caso da Rua Gago Coutinho. Passeie-se à vontade e aprecie o ambiente antigo das ruas e dos edifícios de fachadas trabalhadas em pedra.

Quem chegar de comboio, ficará mais perto deste centro histórico e por isso poderá inverter o percurso seguindo sempre as indicações de acessibilidade que encontra no mapa do Itinerário Acessível.

Santuário de Santa Luzia
Photo: Basílica de Santa Luzia, Viana do Castelo © João Paulo

Fora do perímetro urbano, a visita à Basílica de Santa Luzia (15), um monumento datado de inícios do séc. XX, é indispensável. Acessível por carro ou de elevador, no topo irá encontrar uma vista deslumbrante sobre a região, razão suficiente para ultrapassar a ligeira trepidação na envolvente do santuário, devido ao pavimento em paralelos de basalto.


Planeamento Veja os favoritos que selecionou e crie o seu Plano de Viagem ou a sua Brochura.
Faça login através de redes sociais
Faça login através de redes sociais

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação e não guarda dados identificativos dos utilizadores.
Poderá desativar esta função na configuração do seu browser. Para saber mais, consulte os Termos de Utilização e Tratamento de Dados Pessoais

close