www.visitportugal.com

Sintra

Galeria Videos: 

Tab Genérica: 

Coordenada X: 

-9.38

Coordenada Y: 

38.80

Posto de Turismo - Sintra

Posto de Turismo - Sintra

Postos de Turismo

Contactos

Morada:
Estação de Sintra - Avª Dr. Miguel Bombarda
2710-590 Sintra
Telefone:
+351 21 193 25 45


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Posto de Turismo - Sintra

Posto de Turismo - Sintra

Postos de Turismo

Contactos

Morada:
Praça da República, 23 2710-616 Sintra
Telefone:
+351 21 923 69 22 - +351 21 923 11 57
Fax:
+351 21 923 69 39


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Posto de Turismo - Cabo da Roca

Posto de Turismo - Cabo da Roca

Postos de Turismo

Contactos

Morada:
Cabo da Roca - Azóia
2705-001 Colares
Telefone:
+351 21 928 00 81
Fax:
+351 21 928 08 92


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Escola Portuguesa de Arte Equestre / Picadeiro Henrique Calado

Escola Portuguesa de Arte Equestre / Picadeiro Henrique Calado

Outros

A Escola Portuguesa de Arte Equestre foi a sucessora da antiga Picaria Real, a academia equestre da Corte Portuguesa, encerrada durante o séc. XIX. Ficou o conhecimento, a tradição do toureio equestre, do mesmo tipo de cavalo utilizado no séc. XVIII, as mesmas selas e os mesmos trajes, constituindo um património equestre único no mundo.

A Escola Portuguesa de Arte Equestre (EPAE) apresenta regularmente no Picadeiro Henrique Calado, na Calçada da Ajuda, em Belém, espetáculos e treinos abertos a todo o público.

Visitar o Picadeiro Henrique Calado é a oportunidade de viajar na História nacional, vivendo momentos que se perpetuaram na beleza dos cavalos Lusitanos da Coudelaria de Alter, fundada em 1748 pelo Rei D. João V. Utilizados nesta arte desde o século XVIII, na realização de exercícios de equitação clássica, exercícios de equitação do período Barroco e exercícios dos Jogos de Corte (torneios praticados entre os séculos XVI e XIX, em ocasiões festivas), mas também nos trajes e arreios que, quer sejam de trabalho (Treinos Diários), quer sejam de gala (Apresentações Semanais e Espetáculos de Gala), são os mesmos que se usavam na génese da Arte Equestre portuguesa.

Treinos Diários
Apresentações matinais ao público do trabalho realizado pelos cavaleiros da EPAE no ensino e preparação dos cavalos de diversas idades, para os espetáculos que a EPAE realiza. Nestes treinos os cavaleiros utilizam traje de trabalho. Estas sessões acolhem visitantes individuais e em grupo, incluindo visitas para grupos escolares.

Apresentações Semanais
Espetáculos com apresentação de exercícios de equitação clássica, e coreografias executadas pelos cavaleiros e cavalos da EPAE, acompanhados por música, como se de um ballet se tratasse. Os cavaleiros utilizam traje de gala e selas à portuguesa. Estas apresentações têm uma duração de cerca de 45 minutos.

Galas
Espetáculos com duração de cerca de 1h30, incluindo entre outros, os chamados “ares altos”, exercícios de equitação característicos do período barroco e dos Jogos da Corte, torneios praticados entre os séculos XVI e XIX, em ocasiões festivas. Estes espetáculos são acompanhados por efeitos de luz e de som, que enriquecem a coreografia e o ambiente.

Contactos

Morada:
Palácio Nacional de Queluz
Telefone:
+351 21 923 73 00
Fax:
+351 21 923 73 50


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Paisagem Cultural de Sintra

Paisagem Cultural de Sintra

Outros

Em 1995, Sintra foi classificada pela UNESCO como paisagem cultural. A vila e a encosta norte da Serra de Sintra, com aspetos naturais característicos e um património edificado notável, ficaram desde então incluídos no património da humanidade.

Na Antiguidade a região era conhecida como o Monte da Lua, estando então associada a um local de culto Pré-Histórico, comprovado pelos vários vestígios encontrados, como por exemplo o Tholos do Monge (túmulo de grandes dimensões situado no alto da serra), objetos da Idade do Bronze descobertos em vários locais da vila ou o povoado calcolítico da Penha Verde. Posteriormente, esta região foi ocupada durante a época romana, da qual o Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas é um bom exemplo.

No séc. XV, a par das alterações feitas no Palácio da Vila por D. João I, Sintra foi eleita como local de veraneio da nobreza e da burguesia. O Palácio foi sofrendo alterações nos reinados seguintes, tornando-se um exemplar único de estilos arquitetónicos e decorativos dos sécs. XV e XVI. As obras feitas durante o reinado de D. Manuel (1495-1521) foram das mais significativas. Os azulejos colocados durante esse período transformaram o ambiente decorativo do palácio, considerado atualmente um dos mais valiosos espólios de azulejaria mudéjar peninsular. As enormes chaminés cilíndricas do palácio, que se destacam na paisagem, são um dos ex-libris da povoação.

No entanto, o período mais marcante para a história de Sintra foi o séc. XIX, altura em que se tornou o local por excelência do movimento romântico. Datam dessa época o Palácio da Pena, o Palácio de Monserrate, a Quinta da Regaleira e a Quinta do Relógio, entre outros, bons exemplos do espírito romântico conferindo à serra um ambiente cheio de mistério e magia. O grande impulsionador deste movimento em Portugal foi um príncipe da Baviera de grande sensibilidade artística, D. Fernando de Saxe Coburgo-Gotha, príncipe consorte da rainha D. Maria II (1826-53). De espírito inovador e atual conseguiu criar aqui um ambiente onde se alia o gosto pela natureza (recriando parques e jardins) às correntes arquitetónicas revivalistas então em voga. A reconstrução do Palácio da Pena (em 1836), um velho mosteiro em ruínas da Ordem de São Jerónimo, é um dos expoentes máximos dessa corrente artística, onde se conjugam num mesmo edifício os elementos mais importantes da história da arquitetura portuguesa. Por isso aí podemos encontrar interpretações fantasiosas góticas, manuelinas e Mudéjares, entre outras.

Graças ao microclima da Serra de Sintra, com características próprias, a vegetação é abundante e inclui várias espécies endémicas combinadas com outras mais exóticas, de países longínquos. Aqui encontram-se alguns dos mais belos parques de Portugal, organizados ao sabor romântico: nestes espaços cenográficos, pequenos lagos, recantos, grutas fingidas, caminhos secretos vão-se descobrindo no meio da vegetação, em completa harmonia. O revivalismo iria assim marcar profundamente a paisagem de Sintra e transformá-la num património ímpar de valor mundial.




Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Palácio Nacional de Queluz

Palácio Nacional de Queluz

Museus e Palácios

O Palácio de Queluz e seus jardins é um dos melhores exemplos da arquitectura portuguesa de finais do séc. XVIII.

Mandado construir por Pedro III, marido da rainha D. Maria I (1734-1816), e utilizado como residência real, este palácio constitui um dos melhores exemplos da arquitectura portuguesa dos finais do século XVIII.

Foi enriquecido com um importante museu de artes decorativas, cujas colecções pertenceram, na sua maior parte, à família real e estão expostas no seu contexto próprio. Muitas das suas salas possuem decoração rocaille, como a soberba Sala do Trono, com paredes revestidas de espelhos e magnífica talha dourada.

Os jardins circundantes são embelezados por fontanários e lagos ornamentais onde a água brota de figuras mitológicas, entre as quais sobressai o grupo escultórico em volta do lago do Jardim de Neptuno.

Contactos

Morada:
Largo do Palácio de Queluz
2745-191 Queluz
Telefone:
+351 219 237 300
Fax:
+351 219 237 350


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas

Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas

Museus e Palácios

Colecção epigráfica que abrange mais de dois milénios, do séc. IV a.C. ao séc. XIX d.C..

Compreende um núcleo de sarcófagos etruscos (Cripta Etrusca), um vasto conjunto de inscrições romanas (Basílica Romana), uma série de lápides paleocristãs (Igreja Visigótica), um espaço dedicado à reutilização de antigos monumentos (Cronos Devorator), uma ampla sequência de lápides medievais e pós-medievais.

Inclui ainda as ruínas da villa romana de São Miguel de Odrinhas.
Contactos

Morada:
Av. Prof. Dr. D. Fernando de Almeida - Odrinhas   2705-739 São João das Lampas
Telefone:
+351 21 961 35 74
Fax:
+351 21 961 35 78


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Chalet da Condessa d´Edla

Chalet da Condessa d´Edla

Museus e Palácios

Após uma importante intervenção de restauro, na sequência de um incêndio que o destruiu parcialmente, abriu ao público este edifício que guarda a memória de uma das grandes histórias de amor da História portuguesa e integra o programa de visita do conjunto monumental do Parque da Pena, na Serra de Sintra, a primeira Paisagem Cultural Património da Humanidade classificada pela Unesco.

Foi construído, segundo o modelo dos chalets alpinos em voga na Europa na segunda metade do século XIX, pelo rei consorte D. Fernando II para a Condessa d’Edla, cantora lírica por quem se apaixonou e se viria a casar em segundas núpcias em 1869, 16 anos depois da morte da rainha D. Maria II.

O edifício, com uma forte carga cénica segundo o espírito romântico da época, é totalmente revestido de pintura mural, sublinhada no exterior pelo uso de cortiça como elemento decorativo nas ombreiras das portas, janelas e óculos. Do conjunto sobressai uma típica varanda que circunda todo o piso superior. Os interiores são ricos e bem trabalhados, com estuques, frescos e embutidos de cortiça e cobre.

Nos jardins que envolvem o chalet, D. Fernando e a Condessa d’Edla, influenciados pelo espírito coleccionista da época, reuniram espécies botânicas provenientes dos quatro cantos do mundo. Em particular, de referir a Feteira da Condessa, um dos locais mais exóticos do jardim, onde foram cuidadosamente introduzidos fetos arbóreos da Austrália e da Nova Zelândia de modo a criar um cenário romântico repleto de dramatismo.

A recuperação, iniciada em 2007 com financiamento do fundo EEA-Grants, complementado com apoios do Turismo de Portugal e do Programa Operacional do Ambiente, devolveu o Chalet ao seu estado original passando a constituir, com o jardim envolvente, um inédito novo pólo de atracção do Parque da Pena.

Contactos

Morada:
Estrada da Pena
2710-609 Sintra
Telefone:
+351 21 923 73 00
Fax:
+351 21 923 73 50


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Palácio Nacional da Pena

Palácio Nacional da Pena

Museus e Palácios

O fantástico Palácio da Pena é um dos maiores exemplos do revivalismo romântico do séc. XIX em Portugal.

Situado no Monte da Pena, o Palácio foi edificado no sítio de um antigo convento de frades da Ordem de São Jerónimo. Foi fruto da imaginação de D. Fernando de Saxe Coburgo-Gotha, que casou com a rainha D. Maria II em 1836. Apaixonado por Sintra, resolveu adquirir o convento e as terras envolventes para construir o palácio de verão da família real.

O rei consorte adoptou para o palácio formas arquitectónicas e decorativas portuguesas, ao gosto revivalista (neo-gótico, neo-manuelino, neo-islâmico, neo-renascentista) e na envolvência decidiu fazer um magnífico parque à inglesa, com as mais variadas espécies arbóreas exóticas.

No interior, ainda decorado ao gosto dos reis que aí viveram, destaca-se a capela, onde se pode ver um magnífico retábulo em mármore alabastro atribuído a Nicolau Chanterenne (um dos arquitectos do Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa). Merece referência também as pinturas murais em trompe l’oeil e os revestimentos em azulejo.

Numa das alas está actualmente instalado um restaurante, com um um belo panorama sobre a Serra de Sintra e a costa.

Contactos

Morada:
Estrada da Pena   
2710-609 Sintra
Telefone:
+351 21 923 73 00
Fax:
+351 21 923 73 50


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Museu de História Natural de Sintra - Colecção Miguel Barbosa

Museu de História Natural de Sintra - Colecção Miguel Barbosa

Museus e Palácios

Instalado num edifício do séc. XIX, o Museu de História Natural de Sintra está situado na Rua do Paço, no centro histórico da vila. Possui um acervo único que é composto por milhares de fósseis de valor cultural e científico incalculável, reunidos ao longo de 50 anos pelo coleccionador Miguel Barbosa e sua mulher, Fernanda Barbosa.

Para além da exibição permanente, o Museu conta também com uma sala de exposições temporárias preparada para receber mostras e eventos diversos, Reserva e Laboratório para o tratamento e estudo das peças, um pequeno Centro de Documentação especializado, e ainda loja e cafetaria. O espaço expositivo tem uma apresentação dinâmica, recorrendo às novas tecnologias e a modernas concepções de mobiliário e equipamento.

Os visitantes têm ainda ao seu dispor um Serviço Educativo concebido dentro do mesmo espírito, que partindo das Colecções Municipais de Paleontologia, Mineralogia, Malacologia e Petrografia oriundas das mais diversas partes do mundo, mostra toda a evolução da vida desde a formação da Terra e as mutações que esta sofreu ao longo de milhões de anos no decorrer das diferentes épocas geológicas, do pré-câmbrico ao quaternário.
Contactos

Morada:
Rua do Paço, nº 20 - Vila de Sintra 2710-602 Sintra
Telefone:
+351 21 923 85 63 / 21 910 52 49
Fax:
+351 21 923 85 20


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Páginas

Pesquisa avançada
Planeamento Veja os favoritos que selecionou e crie o seu Plano de Viagem ou a sua Brochura.
Esqueceu a sua password?
Faça login através de redes sociais
*Aguarde por favor. *As instruções de recuperação de password serão enviadas para o seu e-mail. *E-mail não enviado. Tente novamente.
Faça login através de redes sociais

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação e não guarda dados identificativos dos utilizadores.
Poderá desativar esta função na configuração do seu browser. Para saber mais, consulte os Termos de Utilização

close