www.visitportugal.com

Monumentos

Ermida da Memória

Ermida da Memória

Monumentos

A Ermida da Memória foi mandada construir em 1182 por D. Fuas Roupinho, um nobre desta região, como agradecimento por Nossa Senhora ter atendido às suas preces, salvando-o de uma queda mortal. Ao perseguir um veado durante uma caçada, o cavalo de Dom Fuas quase se precipitou no mar detendo-se no último instante.

A capela de proporções modestas com telhado piramidal situa-se no extremo do promontório, ao lado da rocha onde persiste a marca da ferradura do cavalo, que testemunha o milagre. No interior, painéis de azulejos figurativos azuis e brancos representam a aparição de Nossa Senhora enquanto o veado se precipita no vazio. A capela possui ainda um piso inferiorque é a própria caverna onde terá sido encontrada a imagem original da Virgem a quem D. Fuas pediu auxílio.
Contactos

Morada:
Sítio NAZARÉ


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Castelo de Montemor-o-Novo

Castelo de Montemor-o-Novo

Monumentos

Da muralha, construída por ordem de D. Dinis, no séc. XIII, subsiste o lanço principal protegido por onze torreões cilíndricos. No séc. XIV foram freforçados os elementos defensivos desta estrutura como as barbacãs. A alcáçova de planta rectangular e protegida por duas torres, actualmente em ruínas, já existia na época de D. Sancho I (séc. XII).
Contactos

Morada:
Nossa Senhora da Vila - Montemor-o-Novo


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Forte de São Brás

Forte de São Brás

Monumentos

O Forte de São Brás foi construído no séc. XVI, durante o domínio filipino da coroa portuguesa, para defesa da vila. Ainda mantém os velhos canhões.

Um obelisco desenhado pelo arquitecto Raúl Lino (1879-1974), em forma de guarita, presta homenagem ao Comandante Carvalho Araújo.

Junto ao portal do Forte, a Capela de Nossa Senhora da Conceição, erguida no séc. XVIII, guarda uma imagem de Santa Luzia, do séc. XVI, data do templo primitivo que existia no mesmo lugar.
Contactos

Morada:
Largo Sousa e Silva 9580 Vila do Porto
Telefone:
+351 296 882 254
Fax:
+351 296 882 254


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Igreja do Carmo - Tavira

Igreja do Carmo - Tavira

Monumentos

A Ordem Terceira de Nossa Senhora do Monte do Carmo de Tavira foi criada no início do séc. XVIII, tendo ficado sediada numa capela do Convento de São Paulo. Em 1737, solicitaram a fundação de convento próprio nesta cidade, transferindo-se provisoriamente para a Ermida de São Brás.

O novo convento seria construído com uma elevada comparticipação financeira dos frades Terceiros e de alguns comerciantes da região. Devido a um longo período de obras, a parte conventual acabou por não ser terminada e parte foi adaptada a cemitério da Ordem Terceira.

No interior, encontram-se algumas peças de grande valor artístico em estilo barroco e rococó, nomeadamente os retábulos de talha do altar-mor e das capelas laterais, telas, o cadeiral e o orgão da igreja.

Aqui foi sepultado o Bispo do Algarve, D. Ignácio de Santa Teresa, falecido em Faro em 1751.
Contactos

Morada:
Largo do Carmo  8800-311 Tavira


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Arco da Vila em Faro

Arco da Vila em Faro

Monumentos

Assente numa das portas medievais da cidade, este portal monumental foi mandado construir pelo Bispo D. Francisco Gomes de Avelar no séc. XIX. Com projecto feito pelo arquitecto italiano Francisco Xavier Fabri, foi inaugurado em 1812.

É decorado no exterior por um nicho com a imagem de São Tomás de Aquino, de origem italiana. É um bom exemplo do neoclassicismo italiano no património algarvio.

No interior, podemos ainda ver a Porta Árabe. Fazia parte das antigas muralhas muçulmanas e era a entrada na cidade para quem vinha por mar. É considerado exemplar único de arquitectura árabe em Portugal, tendo em conta o bom estado de conservação e o facto de ainda se encontrar no local de origem.
Contactos

Morada:
Jardim Manuel Bívar - Faro


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Igreja e Convento do Pópulo - Braga

Igreja e Convento do Pópulo - Braga

Monumentos

A Igreja do Pópulo foi construída no séc. XVI por vontade do arcebispo D. Frei Agostinho de Jesus, para aí ser sepultado. Falecido em 1609, o seu corpo foi trasladado em 1628 para um túmulo de madeira mandado fazer pela cidade de Braga, colocado num arcossólio na capela-mor.

O carácter maneirista inicial da igreja foi alterado no séc. XVIII, quando se reconstruiu a fachada em estilo neoclássico segundo o risco de Carlos Amarante. O templo é consagrado à Virgem venerada na Igreja de Santa Maria do Pópulo, em Roma. O interior vale a visita pela sua riqueza decorativa, em que se destaca o revestimento azulejar a azul e branco atribuído ao ceramista Policarpo de Oliveira Bernardes (séc. XVIII).

Contactos

Morada:
Largo de Santo Agostinho
4700 Braga
Telefone:
+351 253 271 982


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Mosteiro da Serra do Pilar

Mosteiro da Serra do Pilar

Monumentos

Inserido na área classificada em Dezembro de 1996 como Património Mundial da UNESCO, o Mosteiro da Serra do Pilar, ex-libris de Gaia, preserva a interessante igreja e o claustro, de planta circular, exemplar único em Portugal.

A Igreja, caracterizada pela sua forma circular, é uma réplica da Igreja de Santa Maria Redonda, em Roma, e é coberta por uma abóbada hemisférica. Foi construída em 1538 pelos mestres Diogo de Castilho e João de Ruão para os Cónegos Regrantes de Santo Agostinho. Levou 72 anos a concluir, devido à falta de verba dos cónegos e à situação política da altura - o reino de Portugal tinha sido tomado pela vizinha Espanha, tendo mesmo este local adoptado o nome de uma santa espanhola, a Nossa Senhora do Pilar.

Em 1832, durante o Cerco do Porto, foi reconhecido o valor militar do local e o convento foi transformado em fortaleza improvisada. No início do século XX, tornou-se Quartel das Tropas, estando actualmente sob a alçada do Regimento de Artilharia da Serra do Pilar.

No interior, são de salientar alguns retábulos de talha dourada, com colunas salomónicas, e as esculturas de madeira policromada, setecentistas, figurando Santa Eulália, Santa Apolónia e Santo Agostinho.

Defronte da Igreja, existe um magnífico miradouro, de onde se pode observar a cidade do Porto e o rio Douro.

Contactos

Morada:
Largo de Avis - Santa Marinha 4430-329 Vila Nova de Gaia
Telefone:
+351 223 795 385


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Igreja de Santa Clara - Santarém

Igreja de Santa Clara - Santarém

Monumentos

A Igreja de Santa Clara está situada num dos termos de Santarém, numa zona que ficava fora das muralhas. É um templo do século XIII, mandado construir por D. Afonso III (1248-1279) para a sua filha D. Leonor Afonso, que aí professou.

No século passado, durante os anos 40, sofreu um polémico restauro que a despojou completamente de todos os elementos decorativos, perdendo-se para sempre um pouco da história artística e da evolução espacial do templo durante várias gerações. No entanto, recuperou a austeridade das regras da Ordem de Santa Clara. De notar que não existe porta na fachada da igreja, cujo acesso é apenas possível pela porta lateral. Esta particularidade deve-se ao facto de ser uma ordem de clausura sem contacto com a população.

Na arquitectura, segue os cânones do gótico mendicante: três longas naves de oito tramos, transepto saliente e cabeceira com cinco capelas adjacentes. No topo Norte a grande rosácea gótica, que ajuda a iluminar o interior, é sobrepujada por um escudo com as armas reais. As antigas dependências conventuais foram completamente destruídas.

No interior merece referência o túmulo de D. Leonor Afonso, do séc. XIV, de execução rigorosa. Nas faces da arca vêem-se representadas cenas da Anunciação e da Estigmatização de São Francisco, figuras de freires franciscanos e de monjas clarissas.

Contactos

Morada:
Av. Gago Coutinho e Sacadura Cabral 
2005-021 Santarém


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Igreja de Santa Maria, matriz de Óbidos

Igreja de Santa Maria, matriz de Óbidos

Monumentos

A rua Direita leva à praça de Santa Maria onde domina a igreja matriz com a sua torre sineira branca e um lindo portal da Renascença. No tempo em que os mouros eram os senhores da região, seria neste mesmo local que se erguia a sua mesquita. Quando D. Afonso Henriques conquistou Óbidos em 1148, uma igreja cristã veio substituir o culto do Islão.

O templo que vemos hoje data do séc. XVI. No interior, as paredes revestidas de alto a baixo com azulejos setecentistas e o tecto de madeira pintada produzem um belo efeito decorativo. Merece ainda ser admirado o túmulo renascentista de D. João de Noronha, que foi alcaide de Óbidos no séc. XVI, obra-prima da escultura tumular renascentista, atribuída a João de Ruão. E sobretudo deixe-se seduzir pela pintura de Josefa de Óbidos (1634-1684), onde profano e sagrado se combinam em atmosferas de suave sensualidade e misticismo, como no retábulo representando o Casamento Místico de Santa Catarina, que se encontra na sacristia. Grande parte da obra desta notável pintora está guardada em museus, nomeadamente no de Óbidos. A artista está sepultada na igreja de S. Pedro, no largo do mesmo nome.

Nesta igreja casou a 15 de Agosto de 1441, o infante D. Afonso (mais tarde D. Afonso V de Portugal) com sua prima D. Isabel, tendo ele dez e ela 8 anos de idade.

No largo da igreja o pelourinho de pedra está decorado com uma rede de pesca. D. Leonor, mulher de D. João II quis assim prestar a sua homenagem aos pescadores que recolheram numa rede o corpo de seu filho D. Afonso, morto na sequência de uma queda de cavalo, junto da margem do Tejo.

Contactos

Morada:
Praça de Santa Maria  2510-001 Óbidos
Telefone:
+351 262 959 633


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Concatedral de Miranda do Douro (Antiga Sé)

Concatedral de Miranda do Douro (Antiga Sé)

Monumentos

A catedral de Miranda do Douro foi mandada construir no séc. XVI por D. João III. As obras tiveram início em 1552 com projecto de Gonçalo Torralva e Miguel de Arruda e posterior execução de Francisco Velasquez. Concluída nos inícios do século XVII, manteve o estatuto de sé episcopal até 1780, ano em que a sede da diocese passou para Bragança (com a designação de Diocese de Bragança e Miranda), passando este templo a ser designado por Concatedral ou simplesmente por Igreja Matriz de Miranda do Douro.

De conceção maneirista, este notável templo de três naves, possui uma fachada harmónica - em que um corpo central é ladeado por duas poderosas torres -, e um interior em três naves abobadadas à maneira gótica, com cruzaria de ogivas de nervuras visíveis. O retábulo-mor é já uma obra seiscentista, terminada em 1614, e deve-se ao trabalho de Gregório Fernández, mestre galego radicado em Valladolid e responsável por uma oficina bastante ativa durante o período maneirista. Igualmente digno de nota é o retábulo de Nosso Senhor da Piedade, em talha barroca de boa qualidade, e o órgão do século XVIII, de igual modo profusamente decorado com talha dourada.

Contactos

Morada:
Largo da Sé 
5210-184 Miranda do Douro
Telefone:
+351 273 430 025 / 966 184 910


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Páginas

Pesquisa avançada
Planeamento Veja os favoritos que selecionou e crie o seu Plano de Viagem ou a sua Brochura.
Esqueceu a sua password?
Faça login através de redes sociais
*Aguarde por favor. *As instruções de recuperação de password serão enviadas para o seu e-mail. *E-mail não enviado. Tente novamente.
Faça login através de redes sociais

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação e não guarda dados identificativos dos utilizadores.
Poderá desativar esta função na configuração do seu browser. Para saber mais, consulte os Termos de Utilização

close