www.visitportugal.com

Live Chat

Museus e Palácios

Oliva Creative Factory

Oliva Creative Factory

Museus e Palácios

A Oliva Creative Factory é o mais recente espaço cultural e artístico de São João da Madeira que tem como missão inspirar o talento e a criatividade.  


Instalada no interior da Oliva, uma das mais importantes fábricas da história industrial portuguesa, a Oliva Creative Factory  disponibiliza uma galeria comercial, o núcleo  sobre a história da Oliva, um museu de arte contemporânea, residências artísticas, uma escola de dança e diversos espaços de formação e desenvolvimento artístico e criativo e de produção, fruição e consumo cultural.

Instalada no interior da Oliva, uma das mais importantes fábricas da história industrial portuguesa, a Oliva Creative Factory disponibiliza uma galeria comercial, o núcleo sobre a história da Oliva, um museu de arte contemporânea, residências artísticas, uma escola de dança e diversos espaços de formação e desenvolvimento artístico e criativo e de produção, fruição e consumo cultural.

Welcome Center
Localizado na Torre da Oliva - um dos mais emblemáticos e históricos edifícios de São João da Madeira, o Welcome Center é um espaço onde pode obter todas as informações de que necessita sobre o Turismo Industrial em S. João da Madeira e sobre os Circuitos pelo Património Industrial. Aqui poderá efetuar reservas para visitar fábricas, solicitar o serviço de um guia turístico industrial, tirar dúvidas e fazer a marcação para os workshops. Uma equipa estará disponível para ajudá-lo e para lhe apresentar o seu guia turístico industrial ou fornecer o guia multimédia relativo às fábricas ou instituições que pretende visitar. Faça uma visita ao Welcome Center e descubra, logo ali, o que temos para lhe mostrar. Consulte a mesa interativa com informações sobre o circuito, conheça a história da Viarco e da fábrica Oliva, através de duas barras cronológicas interativas.

Este espaço é o ponto de partida para uma viagem inesquecível ao passado, ao presente e ao futuro da nossa história fabril.

Serviços
• Atendimento e reservas para visitas
• Disponibilização de guias turísticos industriais e guias áudio multimédia (disponíveis em Português, Inglês, Francês e Espanhol)
• Espaço multimédia interativo
• Espaço lounge e lounge infantil interativo
• Loja do Turismo do Porto e Norte de Portugal

Contactos

Morada:
Rua da Fundição, 240
3700-119 São João da Madeira
Telefone:
+351 256 004 100


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Museu de Chapelaria

Museu de Chapelaria

Museus e Palácios

Ficou conhecida entre as gentes da época pela "Fábrica Nova", e foi fundada em 1914 por António José Oliveira Júnior, figura grata a S. João da Madeira e a quem foi atribuído pelo governo de então o diploma de Mérito Industrial e Agrícola.

Inovadora ao nível das técnicas de fabrico e sempre atualizada perante as necessidades de mercado será também desta empresa a responsabilidade pela introdução do chapéu de lã merina (lã fina), o chamado "chapéu da moda", por ser em tudo diferente do antigo chapéu de lã grosseiro até então produzido. Sendo a única empresa do País a possuir as máquinas e técnicas do fabrico deste chapéu, a Empresa Industrial de Chapelaria manterá durante muitos anos o monopólio do fabrico e venda deste artigo.

Encerrada em 1995, a Empresa Industrial de Chapelaria acompanhará toda a história desta indústria, refletindo naturalmente as suas épocas de prosperidade e declínio, ficando para sempre associada à imagem da fábrica que empregou e formou gerações sucessivas de chapeleiros e artífices que lhe devotaram uma vida inteira de trabalho.

Localizado na Rua Oliveira Júnior, o edifício que recebe atualmente o Museu de Chapelaria, evidencia-se pela sua traça sóbria e simétrica, sendo por si só reflexo de um período da história da arquitetura portuguesa.

Contactos

Morada:
Rua Oliveira Júnior, 501
3700-204 São João da Madeira
Telefone:
+351 256 201 680


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Centro Interpretativo da Montanha e do Centeio de Aboim

Centro Interpretativo da Montanha e do Centeio de Aboim

Museus e Palácios

O centro interpretativo da Montanha e do Centeio abrui em 2012 e nasceu da transformação do antigo Museu do Moinho e do Povo de Aboim, através da reconversão da escola primária, presentement desativada, num Centro Interpretativo de excelência, diferienciador pelas dinâmicas e pelos instrumentos utilizados na exploração das temáticas abordadas.

Apresenta desde exposições interactivas com conteúdos virtuais lúdico-pedagógicos de caracter historicos, etnológico e ambiental,a "mini-exploratorios" científico-experimentais, a ateliers dedicados a confeção de produtos à base de Centeio (pão e bolachas). As atividades dispóniveis são diversificadas e adequadas aos diferentes públicos alvos (crianças, adultos e idosos), em especial para os grupos escolares onde é aliado o moderno com a tradição empregando ferramentas inovadoras e multivariáveis. Este centro propõe ao visitante um envolvimento absoluto na aquisição do conhecimento através das várias linhas do tempo.

Contactos

Morada:
Avenida da Igreja, n°1
4820-001 Aboim, Fafe
Telefone:
+351 964 799 753


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Centro de Interpretação da Batalha dos Atoleiros

Centro de Interpretação da Batalha dos Atoleiros

Museus e Palácios

Atoleiros 1384 - Centro de Interpretação da Batalha dos Atoleiros consiste num projeto destinado a apresentar aos visitantes uma reconstituição da batalha histórica travada em 6 de Abril de 1384, a curta distância da vila de Fronteira, recorrendo a meios multimédia.

A Batalha dos Atoleiros representou um acontecimento decisivo para a História e para o futuro de Portugal. Nesta batalha, Nuno Álvares Pereira venceu a cavalaria castelhana, apesar da sua superioridade numérica, através da utilização de uma tática militar de inspiração inglesa, a “tática do quadrado”.

Esta vitória revelou-se bastante expressiva, não só por não se terem registado mortos, nem feridos da parte portuguesa, ao contrário dos invasores que sofreram pesadas baixas, mas igualmente devido ao facto de se ter desabonado a invencibilidade castelhana, dando início ao processo de consolidação da nação portuguesa.

Com o intuito de se tornar uma referência cultural nacional no que se refere à temática das batalhas medievais, o Centro de Interpretação da Batalha de Atoleiros foi criado com base numa nova tipologia de museu, proporcionando aos visitantes a experiência de um percurso de visita com diferentes perspetivas visuais sobre o campo de batalha, facilitando a compreensão do contexto histórico, dos seus protagonistas e da importância das suas consequências para o futuro do nosso país.

Contactos

Morada:
Avenida Heróis dos Atoleiros
7460-101 Fronteira
Telefone:
+351 245 604 023


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Espaço Museológico "Museu do Arroz"

Espaço Museológico "Museu do Arroz"

Museus e Palácios

Fundado com o objetivo de consagrar a orizicultura e dar a conhecer um pouco mais da tradição da região, o Museu do Arroz é um espaço cultural onde é possível recuar no tempo e compreender melhor a importância deste cereal para a história da Herdade da Comporta.

O espaço museológico está instalado numa antiga fábrica de descasque de arroz datada de 1952, altura em que se deu início a esta atividade na Comporta, um edifício que alberga ainda um restaurante com longa tradição na região – o "Museu do Arroz".

Para além desta fábrica existiam várias oficinas direta ou indiretamente relacionadas com o cultivo do arroz, como a do ferrador e forjador, que possuíam um acervo de instrumentos de serralharia e carpintaria. Tinham a seu cargo a manutenção da fábrica, das habitações dos trabalhadores especializados e do escritório, da cantina, do talho, da padaria, da barbearia, da casa da costura, da igreja, e contribuíam para a realização de instrumentos e viaturas para o cultivo do cereal e outras atividades agrícolas (pecuária e produtos hortícolas), para o fabrico de moldes de marcos de cimento para delimitar o território e para a realização da maioria dos instrumentos oficinais.

Até aos finais dos anos 60, a Herdade tinha uma economia de autossuficiência. Encontrando-se distante dos centros urbanos e com poucos meios de comunicação, a comunidade vivia fechada sobre si, fazendo parte da terra, que foi sendo comprada por diferentes grupos económicos.

Contactos

Morada:
Herdade da Comporta
7580-610 Comporta (Alcácer do Sal)
Telefone:
+351 265 499 950


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Palácio Nacional e Convento de Mafra

Palácio Nacional e Convento de Mafra

Museus e Palácios

Pela sua magnificência, o monumental conjunto arquitectónico de Mafra (palácio, convento e basílica) é testemunho da opulência da corte de D. João V (1707-1750), o monarca que o mandou construir, e o mais importante monumento barroco português. O traço é da autoria de Frederico Ludovice, que utilizou uma linguagem arquitectónica e decorativa inspirada nos modelos italianos.

Tendo sido residência de Verão da família real, o Palácio possui várias colecções de origem portuguesa, italiana e francesa executadas por encomenda real, incluindo pintura e escultura barrocas, paramentos e alfaias litúrgicas e pinturas murais de importantes artistas portugueses, como Cirilo Volkmar Machado e Domingos Sequeira.

Na Basílica existe um conjunto seis órgãos, único no mundo, e merecem ainda destaque os dois carrilhões de 114 sinos - 57 em cada uma das torres, feitos em Antuérpia no séc. XVIII, e que são também os maiores a nível mundial.

É imprescindível visitar a Biblioteca em estilo rocaille, situada na ala nascente do Convento de Mafra. Instalada na mais nobre sala do monumento, e que com 83 metros de comprimento é também a maior, esta é a mais importante Livraria monástico-real do século XVIII, existente em Portugal. Foram os frades arrábidos que nos sécs XVIII-XIX organizaram os 40.000 volumes preciosos da forma sistemática que se mantém até aos nossos dias, e que elaboraram o catálogo onomástico, onde estão registadas todas as obras existentes até 1819. Do valioso espólio destacam-se as obras nacionais e estrangeiras, impressas nos séculos XVI, XVII e XVIII, algumas das quais muito raras, como os 22 incunábulos estrangeiros e 41 cartas geográficas.

Contactos

Morada:
Terreiro D. João V
2640-492 Mafra
Telefone:
+351 261 817 550
Fax:
+351 261 811 947


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Museu da Eletricidade

Museu da Eletricidade

Museus e Palácios

Este museu está instalado num conjunto de edifícios classificados de interesse público - a Central Tejo - e tem como principal colecção, para além do próprio edifício, a maquinaria utilizada no fornecimento de electricidade à cidade de Lisboa durante a primeira metade do século XX. Inclui dínamos e motores eléctricos do século XIX, motores a vapor, caldeiras de alta pressão, geradores hidráulicos e outro equipamento.

Contactos

Morada:
Edifício Central Tejo - Avenida Brasília 
1300-598 Lisboa
Telefone:
+351 21 002 81 90
Fax:
+351 21 002 81 04


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Paço dos Duques de Bragança

Paço dos Duques de Bragança

Museus e Palácios

A construção do palácio dos Duques de Bragança, inspirada nas moradias senhoriais francesas, iniciou-se no início de Quatrocentos e deveu-se a D. Afonso de Barcelos, primeiro duque de Bragança e filho natural de D. João, Mestre de Avis, futuro rei D. João I. Porque mais tarde a residência dos Bragança se deslocou para o Palácio de Vila Viçosa, no Alentejo, o edifício foi-se degradando ao longo dos séculos até se transformar num quartel militar em 1807.

Em 1937 iniciaram-se as obras de restauração e em 24 de Junho de 1959, exactamente 831 anos passados sobre a batalha de S. Mamede, o palácio ressurgiu na sua imponência gótica de inspiração normanda. Na ala norte do piso térreo encontra-se um pequeno museu de arte contemporânea com peças que o pintor José de Guimarães (criador do símbolo do turismo de Portugal) doou à cidade onde nasceu.

O museu ocupa as imensas salas do primeiro andar onde está exposto um conjunto de obras de arte provenientes de diversos museus ou mandadas replicar, entre as quais se destacam peças de mobiliário do séc. XVII, colecções de armas antigas e um conjunto notável de quatro tapeçarias de enormes dimensões que descrevem com muito pormenor cenas da chegada dos portugueses a Arzila, do cerco a esta cidade no norte de África e da tomada de Tânger. Os originais foram encontrados em Pastrana, próximo de Madrid e posteriormente transferidos para o palácio El Escorial. O Governo espanhol nunca autorizou a devolução das peças originais, tendo apenas dado permissão para executar as reproduções que se podem admirar no Palácio Ducal.

Contactos

Morada:
Rua Conde D. Henrique  
4810-245 Guimarães
Telefone:
+351 253 412 273


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Palácio Nacional de Queluz

Palácio Nacional de Queluz

Museus e Palácios

O Palácio de Queluz e seus jardins é um dos melhores exemplos da arquitectura portuguesa de finais do séc. XVIII.

Mandado construir por Pedro III, marido da rainha D. Maria I (1734-1816), e utilizado como residência real, este palácio constitui um dos melhores exemplos da arquitectura portuguesa dos finais do século XVIII.

Foi enriquecido com um importante museu de artes decorativas, cujas colecções pertenceram, na sua maior parte, à família real e estão expostas no seu contexto próprio. Muitas das suas salas possuem decoração rocaille, como a soberba Sala do Trono, com paredes revestidas de espelhos e magnífica talha dourada.

Os jardins circundantes são embelezados por fontanários e lagos ornamentais onde a água brota de figuras mitológicas, entre as quais sobressai o grupo escultórico em volta do lago do Jardim de Neptuno.

Contactos

Morada:
Largo do Palácio de Queluz
2745-191 Queluz
Telefone:
+351 219 237 300
Fax:
+351 219 237 350


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Palácio e Jardins do Marquês de Pombal

Palácio e Jardins do Marquês de Pombal

Museus e Palácios

Os Jardins e o Palácio do Marquês de Pombal, classificado como monumento nacional, é um exemplo do valioso património do século XVIII, cujo projeto é de autoria de Carlos Mardel, famoso arquiteto húngaro que teve papel privilegiado na reconstrução pombalina de Lisboa, aquando do terramoto de 1755.

Contactos

Morada:
Largo Marquês de Pombal
2784 - 540 Oeiras
Telefone:
+351 21 440 87 81


Calcular
É necessário seleccionar um ponto de partida.

Páginas

Pesquisa avançada
Planeamento Veja os favoritos que selecionou e crie o seu Plano de Viagem ou a sua Brochura.
Esqueceu a sua password?
Faça login através de redes sociais
*Aguarde por favor. *As instruções de recuperação de password serão enviadas para o seu e-mail. *E-mail não enviado. Tente novamente.
Faça login através de redes sociais

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação e não guarda dados identificativos dos utilizadores.
Poderá desativar esta função na configuração do seu browser. Para saber mais, consulte os Termos de Utilização

close