www.visitportugal.com

Visita ao Arouca Geopark

Geoparque de Arouca
Local: Arouca
Foto: Associação Geoparque Arouca
Photo: Associação Geoparque Arouca

Não deixe de…
  • Fazer os 10 percursos pedestres com interesse geoturístico: PR1, PR4, PR5, PR6, PR7, PR8, PR9, PR13, PR14 e PR15
  • Passar um dia nos Passadiços do Paiva
  • Descobrir a Serra da Freita, com espécies raras de fauna e flora, algumas em vias de extinção
  • Conhecer a curiosa torre sineira românica da Igreja de Urrô
  • Saborear a vitela arouquesa, com classificação DOP
  • Provar a doçaria regional com origem no Mosteiro de Arouca

Com um património geológico de excecional importância, o Arouca Geopark foi reconhecido em 2009 pela UNESCO, assumindo então o propósito da geoconservação, da educação para o desenvolvimento sustentável e do turismo.

Verdadeiro museu geológico a céu aberto, com uma área de 328 Km2, é envolvido pelas Serras da Freita, Montemuro e Arada e percorrido por vários rios, oferecendo excelentes condições para diversas atividades como o canyonning, canoagem, kayaking e escalada (25 vias em 3 zonas da Serra da Freita). Nos rápidos do Rio Paiva, encontram-se alguns dos melhores locais em Portugal para a prática de rafting e kayak-rafting.

O património inventariado totaliza 41 geossítios, isto é, sítios de interesse geológico que se destacam pela sua singularidade e valor, sob o ponto de vista científico, didático e turístico. Têm particular destaque as Pedras Parideiras da Castanheira, as Trilobites Gigantes de Canelas e os Icnofósseis do Vale do Paiva.

Para desfrutar em pleno destas paisagens, o Geoparque definiu uma Rede de Percursos Pedestres, 13 dos quais são percursos de pequena rota (PR) e um de grande rota (GR), todos eles devidamente sinalizados.

No Centro de Interpretação Geológica de Canelas, que fica na PR9 (Rota do Xisto), existe uma coleção de fósseis de trilobites gigantes. Estes animais marinhos, com cerca de 465 milhões de anos, beneficiam de projeção internacional por serem os maiores exemplares de trilobites do mundo.


Trilobites ©Arouca Geopark

Já na PR15 (Viagem à Pré-história), junto à aldeia da Castanheira na Serra da Freita, fica outro geossítio, único no país e raríssimo no mundo inteiro. Trata-se de rochas graníticas com discos incrustados que, por força da erosão, se soltam da pedra mãe, pelo que são conhecidas como Pedras Parideiras. Nesta serra, para além da grande variedade de flora e fauna, encontramos também a Frecha da Mizarela, uma queda de água em que o Rio Caima se precipita de uma altura de cerca de 75 metros, e o geossítio das Pedras Boroas do Junqueiro, dois blocos graníticos que lembram boroas (ou broas) de milho.

Na Rota dos Geossítios, um dos itinerários percorre o vale do rio Paiva, acompanhando o seu curso ao longo de 8 km. Vale a pena dedicar um dia a explorar os Passadiços do Paiva, para apreciar a paisagem e pelo interesse geológico e biológico. Entre a zona balnear do Areinho e a de Espiunca, os pontos de atração são os geossítios da Garganta do Paiva, das Cascatas das Aguieiras, da Gola do Salto e da Falha da Espiunca, para além da observação de muitas espécies de fauna, algumas em vias de extinção. A meio do percurso, a zona de lazer da praia fluvial do Vau é um bom local para uma pausa e um banho de rio.

Com metade do território classificado pela Rede Natura 2000, o geoparque é um local de excelência para o turismo de natureza, com praias fluviais e aldeias tradicionais que vale a pena explorar. É o caso das aldeias de Castanheira ou Cabaços no PR15 (Serra da Freita); e de Janarde ou Meitriz, no PR5, com praias fluviais no rio Paiva, tal como Paradinha.

Em Arouca, vale a pena visitar o Mosteiro e o Museu de Arte Sacra ali existente e a Capela da Misericórdia. A 8km da cidade, o monte da Senhora da Mó, onde existe uma capela construída no século XVI, é um miradouro natural sobre os vales e montes em redor.

De referir também que se encontram neste território antigas minas de volfrâmio que são outros tantos geossítios: a partir de um ponto de observação na Pequena Rota 8 - Rota do Ouro Negro, podem ser vistas as bocas de minas de exploração clandestina da área da Pena Amarela; na Pequena Rota 6 ficam as antigas Minas do Rio de Frades onde ainda hoje é possível fazer cerca de 400 m na Galeria do Vale da Cerdeira; e junto à aldeia de Regoufe fica o Complexo Mineiro da Poça da Cadela.

Mais informações
Em http://aroucageopark.pt/, podem ser consultadas informações mais detalhadas sobre os pontos de interesse do Arouca Geopark, assim como efetuar reservas em programas e pacotes turísticos.

O geoparque de Arouca integra o Roteiro de Minas e Pontos de Interesse Mineiro e Geológico de Portugal.



Pesquisa avançada
Planeamento Veja os favoritos que selecionou e crie o seu Plano de Viagem ou a sua Brochura.
Esqueceu a sua password?
Faça login através de redes sociais
*Aguarde por favor. *As instruções de recuperação de password serão enviadas para o seu e-mail. *E-mail não enviado. Tente novamente.
Faça login através de redes sociais

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação e não guarda dados identificativos dos utilizadores.
Poderá desativar esta função na configuração do seu browser. Para saber mais, consulte os Termos de Utilização e Tratamento de Dados Pessoais

close