www.visitportugal.com

Live Chat

Açores

A Oriente, na ilha de Santa Maria, as praias são quentes e de areia clara, e os vinhedos que cobrem as encostas em anfiteatro lembram escadarias para gigantes. São Miguel, a maior ilha, encanta com as suas Lagoas das Sete Cidades e do Fogo. A força que a terra emana sente-se nos géiseres, nas águas termais quentes e nos lagos vulcânicos, bem como no saboroso “Cozido das Furnas” lentamente cozinhado no interior da terra.

No Grupo Central, as Ilhas Terceira, São Jorge, Pico, Faial e Graciosa dispõem-se harmoniosamente no mar azul por onde baleias e golfinhos espreitam fazendo as delícias dos visitantes. Terceira fala de história em Angra do Heroísmo, classificada Património Mundial, e também nas suas festas. Faial é o fresco azul das hortênsias, a marina colorida pelas pinturas dos iatistas vindos de todo o mundo e o vulcão dos Capelinhos que, já extinto, lembra uma paisagem lunar. Em frente, o Pico, a montanha que nasce do mar com os seus vinhedos plantados em negros campos de lava. Em São Jorge, o destaque vai para as Fajãs e para o seu queijo, especialidade única e de sabor inconfundível. Graciosa de nome e de aparência, esta ilha verde tem campos cobertos de vinhas que contrastam com os seus peculiares moinhos de vento.

Já no grupo Ocidental, na Ilha das Flores, deslumbra-nos a beleza das cascatas naturais e de lagoas escavadas por vulcões. Corvo, a ilha miniatura, tem no seu centro uma ampla e bela caldeira e atrai várias espécies de aves vindas não só do continente europeu mas também do americano.

Estes são os Açores. Nove ilhas, nove pequenos mundos, que têm tanto de comum como de diferente, mas onde a simpatia dos seus habitantes é partilhada por todos.

Galeria Videos: 

Codigo Interno: 

N1007

Imagem destaque: 

Lagoa

Imagem pesquisa: 

Ilha do Pico

Tab Genérica: 

Nome da Tab: 

Saiba mais

Descrição do Conteúdo: 

ATA – Associação de Turismo dos AçoresTel: +351 296 288 082 / Fax: +351 296 288 447 E-mail turismoacores@visitazores.com  Website http://www.visitazores.comFacebook www.facebook.com/pages/Visit-Azores/159818184071534 Youtube www.youtube.com/TurismoAzores

Detalhes de Região / Localidade: 

Açores

Coordenada X: 

-28.00

Coordenada Y: 

38.65

Zoom Mapa: 

4

Os Urban Sketchers nos Açores

Jenny Adam, da Alemanha, foi à descoberta dos Açores acompanhada pela portuguesa Alexandra Batista e juntas desenharam os encantos das Ilhas Terceira, de São Miguel e do Pico. A beleza natural, os lugares mais emblemáticos e a hospitalidade dos açorianos são bem visíveis nos desenhos destas duas sketchers.

A viagem começou em São Miguel, a maior ilha do arquipélago e onde vive mais de metade da população açoriana. A beleza das Lagoas das Sete Cidades e do Fogo impressiona, assim como sentir a força da terra nos geiseres, nas águas termais quentes e nos lagos vulcânicos. Tomaram banho nas águas quentes da Caldeira Velha e ficaram a saber que a ilha é o único local da Europa onde se planta chá. Fizeram o pequeno cruzeiro até ao imperdível Ilhéu de Vila Franca do Campo e, em Ponta Delgada, tiveram tempo para desenhar o Mercado da Graça e as Portas do Mar.

Lagoa do Fogo, Ilha de São Miguel
Lagoa do Fogo © Jenny Adam



Caldeira Velha © Alexandra Baptista

Parque Terra Nostra
Parque Terra Nostra © Jenny Adam

Ilhéu de Vila Franca do Campo
Ilhéu de Vila Franca do Campo © Alexandra Baptista
Ponta Delgada
Ponta Delgada © Jenny Adam

Ilha de São Miguel, Ponta Delgada, Mercado da Graça
Mercado da Graça © Alexandra Baptista

Mas a sul do arquipélago, nos 3 dias que estiveram no Pico, usufruíram de vários momentos para desenhar tranquilamente. Na ilha onde se situa a montanha mais alta de Portugal, fizeram o percurso das lagoas, visitaram o Museu dos Baleeiros, o Museu do Vinho e passearam entre as Vinhas separadas por muros de pedra de basalto, uma paisagem única classificada Património Mundial. 

Ilha do Pico
Ilha do Pico © Jenny Adam

Museu dos Baleeiros
Museu dos Baleeiros © Jenny Adam

Rota da Faina Baleeira
Rota da Faina Baleeira © Alexandra Baptista
Ilha do Pico - Museu do Vinho
Vinha da Ilha do Pico © Jenny Adam

Vinhas da Ilha do Pico
Vinha da Ilha do Pico © Alexandra Baptista

O dia que dedicaram à Ilha Terceira foi muito bem passado, com uma série de atividades que revelaram a autenticidade dos Açores. Visitaram a cidade património mundial de Angra do Heroísmo a pé, descobriram algumas lojas tradicionais, provaram as delícias gastronómicas e, à noite, ainda foram às Festas Sanjoaninas


Na volta à ilha, passaram pela vila de Biscoitos, no litoral, onde se produz o vinho verdelho. Também tiveram a oportunidade de descer ao Algar do Carvão, a quase 100 metros de profundidade. É um monumento natural impressionante, onde se podem ver estalactites, estalagmites e uma lagoa interior.

Angra do Heroísmo © Alexandra Baptista

Angra do Heroísmo
Loja em Angra do Heroísmo © Alexandra Baptista

Angra do Heroísmo - Festas Sanjoaninas
Festas Sanjoaninas © Jenny Adam

Biscoitos
Biscoitos © Jenny Adam

Algar do Carvão
Algar do Carvão © Jenny Adam

E ainda tiveram tempo para provar as especialidades locais da gastronomia dos Açores.
Delicias dos Açores
Delícias dos Açores © Alexandra Baptista

Ancoradouro
Ancoradouro, Ilha do Pico © Alexandra Baptista

São Roque do Pico
São Roque do Pico, Ilha do Pico © Alexandra Baptista


Os Açores vistos por… Jenny Adam

Para a Jenny Adam é difícil dizer o que mais a impressionou nas Ilhas dos Açores. Encontrou uma paisagem de cortar a respiração, com crateras vulcânicas e lagos, num cenário de nuvens, céus impressionantes, sempre a ver o mar ao fundo. Foram momentos desafiantes para uma skectcher. A intensidade das experiências, a amabilidade das pessoas e a boa gastronomia foram alguns dos aspetos mais marcantes da viagem.

“I had never been to a black beach, let alone a natural swimming pool formed by masses of lava rushing into the ocean. I didn't know that thermal water can be tinted bright orange, or that a volcano crater can be completely green because its walls are covered in ferns.”

Agora, quando pensa nos Açores, a primeira ideia que lhe surge é saber quando é que poderá voltar, para conhecer e explorar cada uma das ilhas, incluindo as que já conheceu.

ILHA DE SÃO MIGUEL
Ponta Delgada

Ponta Delgada

 Lagoa do Fogo

Lagoa do Fogo, Ilha de São Miguel

Caldeira Velha

Caldeira Velha, Ilha de São Miguel

Furnas

Furnas, Ilha de São Miguel

Parque Terra Nostra

Parque Terra Nostra

Chá Gorreana

Chá Gorreana

Caloura

Caloura

Termas da Ferraria

Termas da Ferraria

Ilhéu de Vila Franca do Campo

Ilhéu de Vila Franca do Campo

ILHA TERCEIRA
Angra do Heroísmo

Angra do Heroísmo

Angra do Heroísmo

Angra do Heroísmo - Impérios do Divino Espírito Santo

Angra do Heroísmo

Angra do Heroísmo - Festas Sanjoaninas 

Angra do Heroísmo - Festas Sanjoaninas

Biscoitos

Biscoitos

Algar do Carvão

Algar do Carvão

 

ILHA DO PICO

Ilha do Pico

Ilha do Pico

Lajido da Criação Velha - Vinhas da Ilha do Pico

Ilha do Pico - Lajido da Criação velha

Museu do Vinho

Ilha do Pico - Museu do Vinho

Manhenha

Ilha do Pico - Manhenha

Montanha e Madalena

Ilha do Pico - Montanha e Ancoradouro

Museu dos Baleeiros

Museu dos Baleeiros

 



A Jenny Adam é designer industrial e ilustradora e vive na Alemanha, em Frankfurt. Juntou-se aos Urban Sketchers em 2009. Desenhar é a sua ferramenta de design preferida e uma forma de registar o dia a dia em caderno. Participou no Simpósio Urban Skectching 2013 e 2014, deu formação no Simpósio de 2016, em Manchester, no Reino Unido, e organizou as aulas Urban Sketchers 10x10, em Frankfurt, em 2017.

Website: www.jennyadam.com
Blog: www.jennyadamdraws.blogspot.de


Os Açores vistos por… Alexandra Baptista

A Alexandra Baptista juntou-se aos Urban Sketchers há 4 anos e desde então guarda as impressões e as sensações sobre o que a rodeia nos seus cadernos, o que tem transformado o seu olhar sobre o que vê. Ao ser convidada para desenhar a tempo inteiro e acompanhar a Jenny Adam, partilhando o sítio onde vive, redescobriu os Açores e encontrou outros pormenores na paisagem, na gastronomia e na “simpatia e calor humano” dos açorianos.

Estivemos em São Miguel, Terceira e Pico sendo a viagem muito intensa e diversa. Cada ilha tem as suas «cores» e idiossincrasias e gostei de revisitar tudo mas saliento a estadia em Angra, na ilha Terceira, que - embora curta - foi deveras marcante pela riqueza cultural e principalmente devido à interação com as pessoas o que revelou a verdadeira essência dos Urban Sketchers.

ILHA DE SÃO MIGUEL
Mercado da Graça, Ponta Delgada

Ilha de São Miguel, Ponta Delgada, Mercado da Graça

Lagoa do Fogo

Lagoa do Fogo

Caldeira Velha

Caldeira Velha

Parque Terra Nostra

Parque Terra Nostra

Praia da Caloura

Praia da Caloura

Ilhéu de Vila Fanca do Campo

Ilhéu de Vila Franca do Campo

ILHA TERCEIRA
Angra do Heroísmo

Angra do Heroísmo

Biscoitos

Biscoitos

Algar do Carvão

Algar do Carvão

ILHA DO PICO
Vinhas da Ilha do Pico

Vinhas da Ilha do Pico

Museu do Vinho

Museu do Vinho

Rota da Faina Baleeira

Rota da Faina Baleeira

Ponta da Ilha e Calheta

Calheta e Manhenha

São Roque do Pico

São Roque do Pico

Madalena

Ancoradouro

Delícias dos Açores

Delicias dos Açores


Alexandra Baptista, nascida na Estremadura, entregou-se de coração aos Açores. Formada em Artes Plásticas / Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, dedicou-se ao ensino das artes visuais e à prática do desenho. Como Urban Sketcher, descobriu um modo de partilha, inspirado e reflexivo, livre de constrangimentos e fomentador de idiossincrasias.

Blog: http://mybloginsitu.blogspot.pt


Golfe e natureza nos Açores

Olhar em redor e não ver qualquer tipo de construção no horizonte... só a natureza luxuriante, jarros e hortênsias, criptomérias e cedros e a tranquilidade das ilhas dos Açores, sempre com o Oceano Atlântico à espreita.

A morfologia dos greens convida à caminhada. O clima ameno permite jogar em qualquer estação do ano, nos três campos do arquipélago: Batalha e Furnas, na ilha de São Miguel, e Clube de Golfe da Ilha Terceira, na ilha com o mesmo nome, que oferecem percursos adequados a principiantes e profissionais. Para quem procura uma modalidade mais descontraída, por pura diversão, pode praticar nos Açores uma versão mais livre do golfe, com regras semelhantes, por entre pastos e terrenos agrícolas, longe dos greens oficiais.

Batalha Golf Course
Photo: Batalha Golf Course

É um desporto em expansão nestas ilhas de enorme beleza, onde se desfruta do silêncio e de uma tranquilidade rara, mas onde não faltam programas para aproveitar antes ou depois do golfe, para provar a gastronomia local e admirar a natureza em estado quase selvagem. Pode visitar vulcões e grandes lagoas, vinhas classificadas que se expandem e crescem em rochas de basalto, na Ilha do Pico, e uma pequena cidade que é Património Mundial da UNESCO, Angra do Heroísmo. No mar, é possível passear de barco, praticar mergulho, fazer surf em spots de qualidade mundial e observar as baleias, entre muitas outras atividades que se podem fazer para desfrutar da natureza em pleno.


Açores

Açores

Brochuras

Nas nove ilhas dos Açores descubra nove pequenos mundos para férias diferentes, com sabor autêntico.

Das lagoas e crateras de antigos vulcões, à observação de baleias e cachalotes ou à exploração da ilha-montanha do Pico, os Açores são um paraíso para quem ama a Natureza e lugares de emoção para férias ativas  em pleno oceano.



Idioma

Açores - Sinta-se Vivo

Açores - Sinta-se Vivo

Vídeos



Açores: Nove ilhas - Um Geoparque

A origem dos Açores está gravada nos 1766 vulcões que existem neste arquipélago, nove dos quais ainda ativos. De toda esta riqueza natural nasceu o Geoparque dos Açores, integrado na Rede Europeia e Global de Geoparques, o qual visa promover e proteger o património geológico deste arquipélago.

O Geoparque dos Açores é único no mundo, porque dispõe de 121 geossítios dispersos pelas nove ilhas e zona marinha envolvente, espelhando a vasta geodiversidade vulcânica do arquipélago. São nove ilhas, mas um só Geoparque!

No subsolo, estão assinaladas quase três centenas de cavidades vulcânicas, sob a forma de grutas, algares e fendas. Na paisagem, há caldeiras secas, lagoas em crateras, campos fumarólicos e nascentes termais. No mar, encontramos fontes geotermais submarinas. A majestosa montanha do Pico, de cone ainda intacto, parece proteger todas estas riquezas geológicas. Testemunho do poder da natureza, o vulcanismo do arquipélago impressiona pela diversidade do património geológico da região que reflete uma memória geológica de 10 milhões de anos.

A Associação do Geoparque dos Açores criou novos serviços, rotas e produtos interpretativos, implementando um geoturismo de qualidade na região, em estreita ligação com outras vertentes do Turismo de Natureza.

Algumas das rotas já existentes e possíveis de fazer, são:
-Rota das cavidades vulcânicas
Para descobrir o mundo subterrâneo das ilhas.
-Rota dos Miradouros
Para descobrir de carro as geopaisagens
-Rota dos Trilhos Pedestres
Para descobrir a pé os geossítios
-Rota do Termalismo
Para descobrir a força do vulcanismo, tirando partido das mais-valias em termos de saúde, lazer e bem-estar de águas e lamas termais.
-Rota dos Centros de Ciência
Para melhor conhecer e interpretar os fenómenos vulcânicos.

Podemos ainda conciliar a descoberta deste fantástico mundo do geoturismo com um roteiro que inclua toda a família
O dia pode começar num miradouro de onde se contempla a extraordinária paisagem criada pela natureza vulcânica dos Açores.
Depois, a descida às profundezas subterrâneas, numa das várias cavidades preparadas para o efeito. São locais mágicos, apropriados para a visita dos mais pequenos.
Após o regresso à superfície, uma caminhada para contemplar a paisagem circundante sabe sempre bem.
Sempre que o calor apertar, nada como um refrescante mergulho numa piscina natural. 
A visita a um museu ou centro de interpretação responderá às perguntas surgidas durante as ricas experiências do dia passado num mundo de vulcões.

Com tantas sugestões, não podemos deixar de conhecer os vulcões dos Açores e desfrutar de uma erupção…de Sabores, Aromas e Experiências!


Gastronomia dos Açores

Não deixe de…
  • visitar o Museu do Vinho dos Biscoitos na ilha Terceira
  • conhecer uma das fábricas-museu de chá e as plantações de ananases na ilha de São Miguel
  • ver como é feito o queijo da Ilha em São Jorge
  • fazer um piquenique num dos diversos miradouros existentes em todas as ilhas

As muitas receitas tradicionais da cozinha açoriana fazem as delícias dos apreciadores de boa comida. Aqui, o peixe e o marisco são abundantes e por isso para aqueles que gostam de saborear um delicioso peixe acabado de pescar, nos Açores encontram o paraíso.

Grelhados
, em caldeiradas ou em sopas – os peixes apresentam-se de variadíssimas formas. Mas não deixe de provar o atum, que nestas águas é cor-de-rosa, de sabor e texturas suaves, levemente salgado, e ainda capturado com linha e anzol. Ou o polvo, que aqui se aprecia sobretudo guisado em vinho de cheiro. Os Açores têm mariscos que em mais nenhum lugar encontra, como as lapascracas ou o cavacoespécie de lagosta tenra e saborosa, que é quase pecado não provar

Nas carnes, há pratos típicos açorianos: o cozido das Furnas é único por ser cozinhado debaixo do solo, com o calor que a terra mantém naquele lugar da Ilha de S. Miguel. À hora certa podemos assistir à preparação da refeição junto à lagoa. Na ilha da Terceira o destaque vai para a alcatra, bem apaladada como manda a tradição e ainda nas restantes ilhas as diversas variações da receita de inhames com linguiça

bolo lêvedo, originário das Furnas, é também bastante popular, podendo surgir a qualquer refeição, comendo-se simples ou com manteiga ou doce. Ou com mel dos Açores, cuja diversidade e riqueza da flora contribuem para a obtenção de um produto de alta qualidade e de Denominação de Origem Protegida. 


Observação de Cetáceos nos Açores

Não deixe de…
  • nadar com golfinhos
  • levar a máquina fotográfica

Em pleno Oceano Atlântico, os Açores são um arquipélago de nove ilhas de natureza em estado puro e um dos maiores santuários de baleias do mundo.

Entre espécies residentes e migratórias, comuns ou raras, avistam-se mais de 24 tipos diferentes de cetáceos nas suas águas. Para além das comunidades residentes como os golfinhos comuns e roazes, com quem é possível nadar, há baleias que utilizam os Açores como rota de migração. Os golfinhos pintados, cachalotes, baleias sardinheira e de barba são mais frequentes no Verão. A baleia azul pode ser avistada com facilidade nos finais do Inverno. Uma coisa é garantida: seja qual for a estação do ano, há sempre descobertas a fazer.

Os Açores são um ecossistema de características únicas e com águas ricas em peixe, pelo que não é de estranhar que no passado a pesca à baleia fosse uma atividade importante em muitas das ilhas. Hoje, a tradição baleeira foi convertida numa atividade turística muito apreciada, existindo por isso vários pontos de partida, espalhados por várias ilhas, que servem de base para quem queira contactar com os encantadores mamíferos, dando um novo significado a um grito antigo: “Baleia à vista!”. 

Na Ilha de S. Miguel, especialmente em Ponta Delgada e Vila Franca do Campo, existem diversos operadores especializados na observação de cetáceos durante todos os meses do ano. No canal entre as ilhas de S. Miguel e Santa Maria, nos meses de Primavera, é frequente o avistamento de baleias-azuis, o maior animal à face da terra, com cerca de 30 metros e até 150 toneladas.

Na ilha Terceira – quer em Angra do Heroísmo, quer na Praia da Vitória – a oferta para observação de cetáceos é variada, destacando-se a oferta as unidades turísticas que disponibilizam programas que conjugam alojamento com atividades de mar. Das múltiplas espécies cujas rotas de migração as tornam avistáveis a partir da ilha assinalam-se as imponentes baleias azuis que passam, na Primavera e no Outono, entre a Terceira e S. Jorge.

Com S. Jorge e Pico, o Faial forma o chamado Triângulo, e tem hoje na cidade da Horta um dos principais e mais dinâmicos centros de observação e estudo de cetáceos do arquipélago. Vários dos operadores de observação de cetáceos presentes na Horta têm como guias cientistas e técnicos ligados à Universidade dos Açores, instituição que ali tem os seus principais centros de estudos e investigação, conduzindo com outras universidades internacionais vários programas de estudo das populações, migrações e rotas dos grandes animais marinhos.

O Pico é a ilha onde a tradição baleeira nos Açores se encontra mais enraizada, com operadores na Madalena, nas Lajes e em Santo Amaro. Podemos conhecer a história nos vários museus e centros etnográfico onde se perpetuam as artes tradicionais desta atividade, com destaque para o Museu dos Baleeiros, e o Centro de Artes e Ciências do Mar - SIBIL, nas Lajes, e o Museu da Indústria Baleeira, em Santo Amaro.

A saída para o mar, para todos aqueles que desejam participar nesta aventura, é devidamente preparada em terra pelo skipper, através de uma explicação aos visitantes sobre as várias espécies que poderão avistar, a forma como irá decorrer a viagem e os cuidados e precauções que devem ser tomados para não interferir com a vida marinha. 

Não devemos desanimar quando o mar não permitir efetuar o passeio de observação dos cetáceos. Em terra existem vários museus e centros de interpretação, principalmente nas ilhas do Pico e do Faial, que servem de interessante e cativante guarida. Outra hipótese é visitar as vigias da baleia espalhadas em pontos estratégicos das várias ilhas com panorâmicas surpreendentes.

Na observação de cetáceos há momentos que só acontecem uma vez na vida, por isso não podemos esquecer a máquina fotográfica e registar aquele encontro único… acredite, a experiência é fantástica e toda a família vai adorar!


Trilhos nos Açores

Quer seja um amante de passeios calmos ou um viciado em adrenalina, os Açores dispõem de mais de 60 percursos pedestres com todas as condições para caminhar em segurança. Aventure-se e descubra paisagens únicas entre caminhos totalmente envoltos na Natureza.

Os trilhos dos Açores são uma rede de Percursos Pedestres Classificados pelo Governo Regional dos Açores, de forma a garantir a segurança e tranquilidade dos pedestrianistas. Segmentados por três níveis de dificuldade – fácilmédio e difícil – a rede de percursos pedestres adequa-se a vários níveis de idade e preparação física. Muitos dos trilhos classificados aproveitam caminhos de pé posto que os habitantes utilizaram ao longo dos séculos para deslocações do dia-a-dia, transporte de mercadorias ou trânsito de gado. Esta sabedoria dos antigos, no atalhar do território, é hoje aproveitada pelos turistas para conhecer diferentes ângulos e detalhes dos tesouros paisagísticos do arquipélago, pois estes ligam quase todos os recantos de cada uma das ilhas, tanto junto ao mar, como em altitude.

temperatura amena do clima açoriano permite explorar a rede de trilhos em qualquer estação do ano. Tudo depende da experiência pretendida. Caminhar durante o inverno significa encontrar verdes mais luxuriantes, cascatas e ribeiras com maior caudal; andar na primavera e no verão, traz a invasão dos odores e colorido das flores. Já a famosa bruma açoriana, essa pode surgir em qualquer altura. E tão depressa chega, concedendo um aura mística aos contornos vislumbrados, como se levanta para abrir horizontes. 

Devido a particularidades meteorológicas e condições do terreno, alguns trilhos poderão estar indisponíveis temporariamente, por isso antes de partir, devemos obter informação sobre os eventuais alertas e recomendações de segurança que possam existir.


Pesquisa avançada
Planeamento Veja os favoritos que selecionou e crie o seu Plano de Viagem ou a sua Brochura.
Esqueceu a sua password?
Faça login através de redes sociais
*Aguarde por favor. *As instruções de recuperação de password serão enviadas para o seu e-mail. *E-mail não enviado. Tente novamente.
Faça login através de redes sociais

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação e não guarda dados identificativos dos utilizadores.
Poderá desativar esta função na configuração do seu browser. Para saber mais, consulte os Termos de Utilização

close