www.visitportugal.com

Live Chat

Sugestões

Cultura Top 10

A cultura portuguesa está ligada à localização geográfica e percurso histórico do país. Portugal é a mais antiga nação da Europa e a sua abertura ao mar lançou-a nos Descobrimentos.

O seu património cultural foi marcado por influências de África, América, Ásia e dos povos que aqui viveram antes da fundação, assim como o caráter afável e acolhedor dos portugueses.


Património Mundial
Portugal tem 21 núcleos classificados como Património Mundial, que  abrangem monumentos, centros históricos de cidades, paisagens e património imaterial. Nos “conteúdos relacionados”, abaixo, encontra informação sobre cada um deles.
De destacar que antes da classificação de Sintra não havia a categoria de Paisagem Cultural,criada pela Unesco para aplicar a uma Serra e um Parque Natural de natureza exuberante, salpicados de palácios e quintas recheados de história e cultura.

Palácio da Pena, Sintra
Photo: Palácio da Pena, Sintra © Filipe Rebelo

Azulejo
É uma presença constante na arquitetura portuguesa e em nenhum outro país reveste tantos exteriores e interiores de casas, igrejas, palácios, etc.. De origem muçulmana, começou a ser produzido em Portugal no fim do séc XV, mas atingiu maior produção no séc. XVIII, com o azulejo azul e branco.
No Museu Nacional do Azulejo, em Lisboa, ilustra-se a sua história, mas basta andar de comboio pelo país, visitar cidades ou andar no Metro da capital para apreciar belos exemplos desta arte decorativa tão característica de Portugal.

Painel de azulejos
Photo: Painel de azulejos, Palácio da Mitra © António Sacchetti

Estilo Manuelino
Quando em toda a Europa se construíam catedrais góticas, em Portugal introduziram-se na arquitetura e escultura elementos de inspiração marítima e símbolos do poder real, como a esfera-armilar,  no que veio a ser conhecido como estilo manuelino. Assim designado por ter tido início no reinado de D. Manuel I (1495-1521), época magna dos Descobrimentos portugueses, este estilo tem como maiores exemplos o Mosteiro dos Jerónimos, a Torre de Belém, o Mosteiro da Batalha e o Convento de Cristo, mas em todo o país se podem encontrar construções e decorações de sabor manuelino em igrejas, palácios, pelourinhos e até na arquitetura civil.

Mosteiro da Batalha
Photo: Mosteiro da Batalha, Batalha © Rui Cunha

Barroco
O barroco é sinónimo de esplendor e ostentação vividos sobretudo no reinado de D. João V (1707-1750), quando o ouro e pedras preciosas vinham do Brasil e começou a exportação de vinho do Porto. Foi marcado por grandes obras, como o Convento de Mafra, o Aqueduto das Águas Livres de Lisboa ou a Biblioteca da Universidade de Coimbra, mas está presente em todo o país, como nos templos forrados a talha dourada e azulejo. No norte destaca-se o nome de Nasoni, que assinou entre outros a Torre e Igreja dos Clérigos, no Porto,  ou o  Palácio de Mateus, em Vila Real, mas também o encontramos, por exemplo, na faustosa coleção do Museu dos Coches, em Lisboa.

Casa de Mateus
Photo: Casa de Mateus, Vila real © Porto Convention & Visitors Bureau

Aldeias e Cidades
Portugal é conhecido pelo seu património e arquitetura. Além das cidades do Património Mundial, entre muitas outras distinguem-se Viana do Castelo, Braga, Caminha, Barcelos, Ponte de Lima ou Amarante, no norte, Viseu no Centro, assim como Santarém ou Setúbal, mais perto de Lisboa, Tavira e Silves no Algarve, ou Funchal e Ponta Delgada na Madeira e Açores, respetivamente.
Se o românico do norte evidencia que aí começou Portugal, também os Castelos de Fronteira ou as Aldeias Históricas do Centro de Portugal testemunham quase nove séculos de história. Tal como as Aldeias de Xisto ou as muitas aldeias e vilas muralhadas, de que Óbidos, Marvão e Monsaraz são apenas alguns exemplos. No Alentejo encontramos mármores e casas térreas, caiadas de branco. Como as do Algarve, coroadas de açoteia.
São muitos os arquitetos contemporâneos que elevam bem alto o nome de Portugal, mas basta referir os detentores do Prémio Pritzker: Álvaro Siza Vieira recebeu-o em 1992 e Eduardo Souto de Moura em 2011.

Monsaraz
Photo: Monsaraz © Turismo do Alentejo


Espaços sagrados
De norte a sul de Portugal e ilhas, são muitos os espaços sagrados que merecem visita, mas culminam todos em Fátima, com o culto a Nossa Senhora. Entre tantos que se poderiam enumerar, refiram-se as Sés de todo o país, que remontam quase todas ao período da fundação de Portugal, mas acompanharam os movimentos artísticos posteriores. Excluindo os templos mais famosos e visitados, vale a pena destacar a expressão rural dos “Impérios” ligados às Festas do Espírito Santo nas ilhas dos Açores e ainda as Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres, na ilha de S. Miguel.
Do tempo dos mouros restam-nos poucos vestígios do culto sagrado, mas a vila-museu de Mértola, no Alentejo, é uma exceção que merece visita.
Temos felizmente muitos vestígios doutra crença religiosa, o judaísmo, com marcas medievais um pouco por todo o país, como na antiga sinagoga de Tomar, e especialmente junto à fronteira com Espanha, nomeadamente em Belmonte, Guarda, Trancoso e Castelo de Vide.

Santuário de Fátima
Photo: Santuário de Fátima © Pedro Sousa, Amatar

Fado
O Fado é Património Imaterial da Humanidade desde 2011. Esteve durante muitos anos ligado ao nome de Amália, mas hoje é tão grande a nova geração de fadistas, que Mariza, Gisela João, Camané, Carminho ou Ana Moura são apenas alguns dos nomes mais conhecidos internacionalmente.
Para o sentir em toda a profundidade, nada como ouvi-lo numa casa de fados, à luz da vela e da emoção das vozes e da guitarra portuguesa. O Museu do Fado, em Lisboa, também é um bom local para se familiarizar com esta música tão característica de Portugal.

Fado
Photo: Fado, Coimbra © Paulo Magalhães

Literatura
Portugal é conhecido como um país de poetas. A nossa poesia teve início ao mesmo tempo que a nação com a poesia trovadoresca, mas subiu a um patamar cimeiro da epopeia, no Renascimento, com a publicação dos Lusíadas, em que Luís de Camões (1524-1580) canta os feitos dos portugueses a propósito dos Descobrimentos. Já no início do séc. XX adquiriu contornos mais universalistas com a obra de Fernando Pessoa (1888-1935), o  mais traduzido poeta português. Porém, foi a prosa de José Saramago (1922-2013) que conquistou um Prémio Nobel, em 1998.

Biblioteca do Convento de Mafra
Photo: Biblioteca do Convento de Mafra © António Sacchetti

Festa e Festivais
Portugal, sobretudo no verão, fervilha de festas tradicionias, como em Viana do Castelo, Tomar, Campo Maior, ou na Festa da Flor  do Funchal, Madeira. Não esquecendo os Santos Populares, com ponto alto em  Lisboa, a 13 de junho, e no Porto, a 24 de junho.
Também os festivais vão da música rock, ao jazz, étnica... enfim, há  música para todos os estilos, sendo alguns realizados em locais tão atrativos quanto os artistas em cartaz. É o caso do Festival do Sudoeste, de Paredes de Coura, do Super Bock Super Rock e do Nos Alive.

NOS Alive
Photo: NOS Alive, Algés © Hugo Macedo

Gastronomia
Portugal assiste hoje a uma autêntica exaltação de sabores, onde novos chefs combinam produtos e receitas tradicionais com cozinha contemporânea. Cinco ícones da nossa gastronomia têm lugar de destaque: o melhor peixe do mundo; a cataplana (símbolo vivo da cozinha mediterrânica); o vinho do porto (inimitável); o pastel de nata (“doce celestial”); os nossos chefs (fundem tradição com inovação e criatividade). O que anda a par dos princípios por que a Unesco recentemente reconheceu Portugal como detentor da Dieta Mediterrânica. Além do mais, porque gostamos de receber e conviver em volta da mesa, fazendo de cada refeição um momento de partilha.

pão e azeite
Photo: Pão e azeite © Nuno Correia


Caminho Português de Santiago - Caminho Central

O mais percorrido Caminho Português de Santiago é o Caminho Central, que passa por Lisboa, Coimbra e o Porto. Está totalmente assinalado desde Lisboa com as inconfundíveis setas amarelas que marcam os Caminhos de Santiago e, por vezes, com uma vieira amarela sobre fundo azul, o símbolo oficial.

Mas em Portugal existem vários Caminhos de Santiago, sempre de sul para norte, já que Santiago de Compostela fica na Galiza, a 120 km da fronteira de Valença, ao norte de Portugal.

A sul de Lisboa o Caminho não está ainda sistematicamente assinalado, mas sabe-se que também era percorrido na Idade Média pelos peregrinos, nomeadamente desde o Cabo de S. Vicente até Santiago do Cacém, num troço que hoje é conhecido como o Caminho Histórico da Rota Vicentina. A Rota Vicentina faz parte da Grande Rota GR11/E9 que passa por Lisboa.

O Caminho Central passa pelas seguintes localidades (distâncias aproximadas):

DE LISBOA A SANTARÉM

1. Lisboa > Alhandra, 33km
Lisboa > Sacavém > Alpriate>Póvoa de Santa Iria > Alverca > Alhandra  

2. Alhandra > Azambuja, 24km
Alhandra > Vila Franca de Xira > Carregado > Vila Nova da Rainha > Azambuja 

3. Azambuja > Santarém, 32km
Azambuja > Aeródromo > Reguengo > Valada > Porto de Muge > Omnias > Santarém 


DE SANTARÉM A TOMAR

4. Santarém > Golegã, 30,5 Km
Santarém > Vale Figueira > Pombalinho > Azinhaga (terra natal de José Saramago, Prémio Nobel da Literatura em 1998) > Golegã

5. Golegã > Tomar, 22km
Golegã > S. Caetano (Quinta da Cardiga) > Vila Nova da Barquinha > Atalaia  > Grou > Asseiceira > Santa Cita > Tomar

DE TOMAR A COIMBRA

6. Tomar > Alvaiázere, 32 km
Tomar > Ponte de Peniche > Casais > Soianda > Calvinos > Ponte de Ceras > Tojal > Cortiça > Feteiras > Alvaiázere

7. Alvaiázere > Rabaçal, 33km
Alvaiázere > Laranjeiras > Venda do Negro > Casal Soeiro > Ansião > Netos > Venda do Brasil > Santiago da Guarda > Alvorge > Ribeira Alcalamouque > Rabaçal

8. Rabaçal > Coimbra, 32km
Rabaçal > Zambujal > Fonte Coberta > Poço > Conímbriga > Orelhudo > Cernache >Palheira > Cruz de Marouços > Coimbra 


DE COIMBRA AO PORTO

9. Coimbra > Mealhada, 23km
Coimbra > Adémia de Baixo > Trouxemil >  Adões> Sargento Mor > Santa Luzia > Lendiosa > Mealhada 

10. Mealhada > Águeda, 31km 
Mealhada > Sernadelo > Alpalhão > Aguim > Anadia > Arcos > Avelãs de Caminho > Aguada de Baixo > Águeda

11. Águeda > Albergaria-a-Velha, 19,5km
Águeda > Mourisca do Vouga > Serém de Cima > Albergaria-a-Velha 

12. Albergaria-a-Velha > Oliveira de Azeméis, 23km
Albergaria-a-Velha >  Albergaria-a-Nova > Pinheiro da Bemposta > Bemposta > Oliveira de Azeméis 

13. Oliveira de Azeméis > Grijó, 33,5 Km
Oliveira de Azeméis > Santiago de Riba-Ul > Cucujães > S. João da Madeira > Malaposta > Lourosa > Moselos > Grijó 

14. Grijó > Porto 23,5km
Grijó > Perosinho > Vila Nova de Gaia > Porto


DO PORTO A VALENÇA

15. Porto > São Pedro de Rates, 37 km 
Porto > Araújo > Maia > Vilar do Pinheiro > Mosteiró > Vilarinho > Ponte de Ave > São Miguel dos Arcos > São Pedro de Rates 

16. São Pedro de Rates > Barcelos, 17km
São Pedro de Rates > Pedra Furada/Goios > Pereira > Barcelinhos > Barcelos 

17. Barcelos > Ponte de Lima, 34km 
Barcelos > Vila Boa > São Pedro de Fins/Tamel > Ponte das Táboas > Outeiro > Grajal > Reborido > Vitorino dos Piães > Anta > Pedrosa > Ponte da Senhora das Neves > Ponte de Lima 

18. Ponte de Lima > Rubiães, 22Km 
Ponte de Lima > Arcozelo > Ponte da Geira > Ponte do Arco > Alto da Portela/Labruja > São Roque > Rubiães 

19. Rubiães > Valença, 17km 
Rubiães > São Bento da Porta Aberta > Gontomil > Fontoura > Paços > Pedreira > Tuído > Arão > Valença  

 


O Inverno em Portugal

O Inverno em Portugal é uma estação muito aprazível, com sol frequente em todo o país e temperaturas que raramente descem abaixo dos 10ºC. E o povo português mostra-se ainda mais afável e acolhedor!

Com uma média de mais de 300 dias de sol por ano, aqui o  Inverno por vezes mais parece uma primavera e os óculos escuros fazem sempre falta.  Além disso, alguns locais têm nesta época um encanto especial:

Passeio no Douro
O Douro, com uma paisagem classificada como Património Mundial, adquire ainda maior beleza por altura das vindimas, entre setembro e outubro; aqui pode até pernoitar nas quintas produtoras de vinho do Porto e de excelentes vinhos de mesa, alojando-se em belos solares.

Passear na praia
As praias são especialmente agradáveis para passear na estação baixa. Só a ilha de Porto Santo, na Madeira, tem 9 km de areal cuja temperatura lhe confere propriedades terapêuticas. 

Talassoterapia
Mas as nossas praias do Continente e Açores são tantas que não se conseguem contar. Em muitas delas existem centros de talassoterapia, com destaque para os resorts de altíssima qualidade do Algarve e da Madeira, e não só. 

Golfe
O golfe tem em Portugal condições ideais, especialmente os campos do Algarve e Costa do Estoril, que esgotam com frequência no inverno. Eleito como melhor destino de golfe da Europa, é no Algarve, em outubro, que se realiza o Portugal Masters, um dos principais torneios da modalidade e parte integrante do Circuito Europeu da PGA.


As melhores praias

Uma extensa costa, onde todas as praias têm areia branca e fina, um verão longo e muitas horas de sol distribuídas pelo ano inteiro fazem de Portugal um destino natural de férias.

Os comentários e as reportagens nos media internacionais que reconhecem a qualidade e a beleza das praias portuguesas são frequentes. E não é por acaso que temos 320 praias galardoadas com a Bandeira Azul da Europa e 209 consideradas Praia Acessível

Sabemos que não é fácil escolher uma, porque a variedade é grande e a paisagem vai mudando ao longo da costa, mas aqui lembramos algumas das praias eleitas.

Porque não as vem conhecer in loco?

Porto Santo, Madeira
www.europeanbestdestinations.org
www.traveler.es
Considerada um dos segredos mais bem guardados da Europa, também foi uma das escolhidas pelos consumidores entre as mais bonitas. Com mar calmo, são 9 km de areia fina e dourada, ainda por cima, com qualidades terapêuticas. O ideal para descansar.

Porto Santo

Praia dos Galapinhos, Parque Natural da Arrábida
www.europeanbestdestinations.com
A praia perfeita no meio da natureza intocada. Foi assim que viajantes de todo o mundo descreveram a Praia dos Galapinhos quando a escolheram como a melhor praia da Europa, em 2017. É uma das praias do Parque Natural da Serra da Arrábida, que inclui uma zona costeira de águas límpidas e pequenas baías que vale a pena explorar.

Praia da Comporta
www.elmundo.es
No extremo sul da Península de Troia e nos limites da Reserva Natural do Estuário do Sado, a Praia da Comporta é muito procurada pelos veraneantes pela facilidade de acesso. O sossego e a tranquilidade deste pedaço de costa são fortes motivos de atratividade para muito visitantes. 



Supertubos, Peniche
www.bloomberg.com
Considerada como uma das melhores praias de tubos da Europa, é um spot privilegiado para a realização de grandes eventos como o campeonato Rip Curl Pro Portugal.

Praia das Berlengas
www.europeanbestdestinations.com
Longe das multidões e com acesso controlado de maio a outubro  a área protegida do Arquipélago das Berlengas, situada a 10 km de Peniche, tem uma única praia que faz as delícias dos veraneantes mais exigentes.  Foi essa exclusividade e a transparência das águas que levou a Best European Destinations a considerá-la uma das mais bonitas de 2016.

Praia do Norte, Nazaré
Em 2011, ficou famosa internacionalmente por ter a maior onda do mundo, surfada por Garret McNamara. Com 30 metros, foi um record a ultrapassar apenas por surfistas destemidos.



Ericeira

www.worldsurfingreserves.org  
O concelho tem várias praias com excelentes condições para surf, como as praias de Ribeira de Ilhas, dos Coxos ou a da Empa. Os seus 8 km de costa foram classificados como a 1ª Reserva de Surf da Europa e a 2ª do Mundo, segundo a organização mundial “Save the Waves Coalition”.

Praia do Amado + Praia da Arrifana, Aljezur
www.traveler.es
Considerada uma das melhores praias portuguesas para o surf, a Praia do Amado é procurada por praticantes de toda a Europa, sendo muitas vezes palco de provas de competições internacionais.

Praia de Salema, Vila do Bispo
www.theguardian.com
É uma das melhores praias da Europa para famílias, segundo o The Guardian. Esta pequena praia de pescadores, tem águas límpidas e tranquilas e um areal que permite uns bons passeios à beira mar.



Praia do Camilo + Praia do Benagil, Lagos
www.businessinsider.com
Duas praias a incluir na lista de sítios a visitar durante a vida. Aconchegadas entre falésias recortadas, são ex-libris do Algarve e valem certamente a descida até ao areal. De barco é possível visitar as grutas e pequenas praias secretas ao longo da costa.

Praia Dona Ana, Lagos
www.traveler.eswww.harpersbazaar.eswww.vuelaviajes.comwww.tripadvisor.com
A cor azul turquesa da água e os recantos naturais valeram-lhe a escolha da Condé Nast Traveler como uma das 50 mais bonitas do mundo, escolha reforçada pelos utilizadores do Tripadvisor em 2016. É uma das praias mais fotografadas do Algarve.

Praia da Marinha, Lagoa
www.tripadvisor.com
Recanto de natureza preservada, é uma praia muito cénica, enquadrada pela falésia esculpida pela erosão do vento e do mar. É considerada uma das cem melhores praias do mundo.



ALGARVE
www.worldtravelawards.com
Como se vê, algumas das praias premiadas ficam na região do Algarve, um facto reforçado pelo prémio que já ganhou nos World Travel Awards, como o Melhor Destino de Praia da Europa. 

Mas, na verdade, as praias em Portugal são muitas e sempre adequadas ao nosso estado de espírito: umas vezes apetece uma praia mais selvagem e abrigada, com pouca gente; noutras vezes precisamos de mais animação e uma festa ao fim da tarde com os pés na areia é o ideal; ou então, gostamos de horizontes largos e areais para caminhadas revigorantes à beira-mar.

Esta lista serve apenas de inspiração. O melhor é ir passeando ao longo da costa e ir espreitando… as únicas paragens obrigatórias são para dar um mergulho refrescante e assistir ao pôr-do-sol no mar. A não perder!


Turismo Industrial em São João da Madeira

Em São João da Madeira, podemos fazer um itinerário diferente para ver como ainda se preservam as indústrias tradicionais em Portugal.

Os pontos de interesse desta visita são as antigas indústrias da região que ainda se mantêm e fazem parte da história local. Existem circuitos predefinidos pelo património industrial mas, quem preferir, pode criar o seu próprio circuito.

A não perder, a visita ao Museu da Chapelaria, único na Península Ibérica, onde se presta uma homenagem a todos os que fizeram do fabrico de chapéus uma das atividades mais importantes da região. A viagem pelos tempos em que estava na moda usar chapéu passa pela Fepsa. Esta empresa dedicada ao fabrico de feltros para chapéus mantem uma forte ligação às melhores marcas mundiais, ao teatro e ao cinema. Daqui saíram chapéus para muitos filmes de Hollywood.

A preparação da matéria-prima, a partir de pelo de coelho, lebre e castor, é realizada na Cortadoria Nacional de Pelo, onde se pode assistir a todo o processo. Por sua vez, na Heliotextil revela-se a arte do fabrico de acessórios têxteis, como etiquetas, fitas e outros acabamentos, que fazem parte do dia-a-dia. É um importante fornecedor para a confeção de equipamentos dos maiores clubes de futebol.

Também única, mas trabalhando outra matéria, a Viarco é uma fábrica histórica de lápis, que vale a pena conhecer. A funcionar desde 1907, esta empresa portuguesa preserva ainda o processo artesanal de fabrico e desvenda todos os segredos ligados à produção de lápis de grafite e de cor. 

São João da Madeira sempre ocupou um lugar de destaque no mapa empresarial português, com exportações para todo o mundo, com particular importância na área do calçado. Na Evereste, produzem-se atualmente marcas reconhecidas como Cohibas, Miguel Vieira, Fugato, Evereste e Cribs. Por sua vez, na Helsar, uma marca de calçado feminino de gama alta, com 36 anos de existência, pode conhecer-se todo o processo de conceção do sapato, desde o design até à fase de embalamento. Na sua Sala Museu, encontram-se expostos os melhores modelos de cada época e uma surpresa para o visitante: as tendências da próxima estação!

Por fim, podemos conhecer as ferramentas artesanais e as máquinas de outrora no Centro Profissional da Indústria de Calçado, ou ver como funciona um laboratório de ensaios, no Centro Tecnológico do Calçado de Portugal.

Mas para que a visita a São João da Madeira seja aproveitada da melhor forma, sugerimos começar no Welcome Center situado na Torre Oliva. A antiga fábrica de máquinas de costura Oliva é atualmente um dos mais emblemáticos e históricos edifícios da cidade. Aí poderá reservar a visita às fábricas e ter o apoio especializado de um guia turístico industrial para definir o seu circuito personalizado. 


Festivais de Música

Música, sol e mar, festa todas as noites e 850 km de praias: é uma das melhores combinações nos festivais de música em Portugal. Mas há outros programas em que as sonoridades tranquilas se aliam ao património histórico ou aos ambientes campestres numa mistura perfeita.

Para além da boa música, os festivais são uma oportunidade para conhecer os sítios num ambiente de total descontração e de forma divertida. Lisboa e Porto têm sido reconhecidos, todos os anos, como os destinos ideais para umas miniférias e têm noites muito animadas que são a continuação natural do ambiente de festa. Destacam-se nestas cidades o NOS Alive e o Super Bock, Super Rock, em Lisboa, assim como o NOS Primavera Sound e o NOS em D’Bandada no Porto.

Festivais_fffbarradas
Photo: Alentejo © fffbarrada

Na região Porto e Norte, o Vodafone Paredes de Coura na Praia fluvial do Taboão é um bom exemplo de um cenário paradisíaco no meio da natureza. Passeios de bicicleta, trekking, canoagem e banhos de rio são apenas algumas das sugestões que podem complementar na perfeição uns dias bem passados. Já no centro do país, perto de Tomar, o Festival Bons Sons mostra como uma aldeia se pode mobilizar para organizar um evento que apresenta o melhor da música e das tradições portuguesas. 

Vodafone Paredes de Coura
Photo: Paredes de Coura

No litoral os concertos aliam-se às praias, gente simpática e noites que se prolongam até o dia nascer. Os famosos festivais MEO Sudoeste na Zambujeira do Mar e Músicas do Mundo em Sines, o Sumol Summer Fest na Ericeira ou o RFM Somnii na Figueira da Foz ficam perto da praia com tudo de bom que isso tem. É uma excelente altura para dar um mergulho e ter umas aulas de surf nos melhores spots da costa portuguesa. 

FestivalMusicasMundo_CMSines
Photo: Festival Músicas do Mundo|Sines ©Câmara Municipal de Sines

No Funchal, o NOS Summer Opening junta a música à natureza proporcionando experiências para descobrir a Madeira com muita adrenalina. Já no Algarve, o Festival Med em Loulé, e o Festival F em Faro transformam os centros históricos das cidades em palcos para diversas manifestações artísticas. 

Quem gosta de sons clássicos ou de jazz poderá optar pelo Festival Terras sem sombra no Alentejo, em que os concertos de música clássica invadem igrejas e conventos e são complementados com programas que dão a conhecer as atividades e tradições regionais, ou pelo Angrajazz que todos os anos em outubro se realiza na Ilha Terceira, nos Açores.  

Festival Terras sem sombra_Beja
Photo: Festival Terras sem sombra|Beja

Se gosta de música venha a Portugal com a certeza de encontrar um festival à sua medida.  Desde espetáculos com grandes talentos a eventos importantes no calendário internacional haverá sempre um programa em alguma parte do país que lhe irá agradar. Nada como consultar a agenda para ver quem vai cá estar e depois… é só seguir a melodia!


Festas dos Santos Populares

Junho é o mês dos Santos Populares com festas e arraiais por todo o país nas noites de Santo António, de São João e de São Pedro.

As principais são as Festas de Lisboa, de 12 para 13 de junho, dia de Santo António, e as do Porto, na noite de 23 para 24 de junho, quando se celebra o S. João. São festas duma grande animação, em que o povo vem para a rua comer, beber e divertir-se pelas ruas dos bairros populares, engalanadas com arcos, balões coloridos e cheiros de manjerico.

Em Lisboa as marchas populares de cada bairro desfilam pela Av. da Liberdade, enchendo aquela artéria de centenas de figurantes, música, colorido e muito público. Mas a enchente e a animação não são menores nas ruas desses bairros, com destaque para Alfama, mas também para a Graça, Bica, Mouraria ou Madragoa. Nos largos e vielas medievais, come-se caldo verde e sardinha assada, canta-se e baila-se noite dentro. Outro momento alto é a procissão de Santo António, que no dia 13 sai da sua igreja, situada em Alfama, junto à Sé, no local onde este santo nasceu, cerca de 1193.

No Porto, a festa é idêntica em cor e alegria ao longo dos bairros mais tradicionais, como Miragaia, Fontainhas, Ribeira, Massarelos e outros. Mas o Porto tem ainda outros usos e costumes: se antigamente os foliões batiam com alho-porro na cabeça dos companheiros, hoje usam martelinhos de plástico com o mesmo fim; por outro lado, além do feérico fogo-de-artifício que é lançado à meia-noite em pleno rio Douro, no Porto também se lançam coloridos balões de ar quente, numa das mais bonitas celebrações destes festejos populares. A noite acaba para muitos junto à praia, para ver nascer o sol ou para um banho matinal, como manda a tradição.

<

A 29 de junho comemora-se ainda o São Pedro, também com festas populares em várias localidades do país, como Sintra ou Évora, ambas na lista do Património Mundial. Évora, aliás, tem a particularidade de celebrar dois santos populares, pois realiza desde o séc. XVI a feira de S. João, uma das maiores da região sul de Portugal, comemorando também o dia de S. Pedro como feriado municipal.

Em todas as festas é também de tradição saltar a fogueira e oferecer à namorada ou namorado aromáticos vasos de manjerico, onde se colocam quadras, muitas vezes falando de amor, ou não estivessem estas festas ligadas ao solstício de verão e a antigos rituais de fertilidade.

.


Aquaparques em Portugal

Em Portugal encontram-se parques aquáticos de norte a sul do país que garantem momentos de boa diversão, sob o generoso sol português. 

O sol e o mar são uma constante neste país de mais de 800km de costa, mas já não é preciso passar o dia na praia para guardar recordações de horas bem passadas dentro de água, com ou sem crianças. Os parques aquáticos mais concorridos encontram-se no Algarve (Slide & Splash, Aqualand Big One), mas existem outros igualmente divertidos em todo o país, com piscinas e escorregas para todos os gostos, tubos, túneis e pistas aquáticas, jacuzzis e muitas outras formas de cativar o interesse, quer se procurem experiências mais radicais ou mais tranquilas, sem tanta adrenalina.

As diversões aquáticas fecham no inverno e abrem n o verão. Mas alguns também têm animais, seja só para os admirar ou conhecer melhor, seja para brincar com eles dentro de água, como no Zoomarine e no Aqua Show Family Park, no Algarve. Todos oferecem, porém, áreas de lazer bem cuidadas, restaurantes, e alguns até alojamento, contando sempre com infraestruturas desportivas e diversões alternativas para que não falte nada ao visitante mais exigente.

Assim, mesmo quem está no interior ou não quer ir à praia, encontra o Parque Aquático de Amarante e o Naturwaterpark de Vila Real no norte de Portugal, o Panorâmico Aquaparque junto a Pombal, o Norpark na Nazaré ou o Sportágua em Peniche, estes no Centro de Portugal. E ainda podemos visitar o Aquaparque Santa Cruz, na ilha da Madeira.

Se mencionámos apenas alguns dos parques aquáticos, merecem referência também algumas praias artificiais: no Centro de Portugal encontram-se a Live Beach Mangualde, perto de Viseu, e a Praia das Rocas (com ondas artificiais), em Castanheira de Pera. Tal como os parques, oferecem dias bem refrescantes a mergulhar, saltar, deslizar, brincar com os filhos… Enfim, dias cheios de emoção!


Férias em Família

Portugal oferece excelentes condições para umas férias em família, já que é um pequeno país à beira do Atlântico, ideal para atividades de exterior ou interior.

Portugal tem cerca de 800 km de comprimento máximo no território continental, que se percorrem facilmente, proporcionando uma grande variedade de experiências, sempre a curta distância. É um país seguro, brindado com o maior número de horas de sol por ano de toda a Europa e dispõe duma excelente rede viária e de aeroportos internacionais junto dos principais destinos turísticos, o que o torna sempre uma escolha certa para miúdos e graúdos.

Aqui, os mais novos vão adorar conhecer um sem número de locais, a começar pelos parques de animais. O Oceanário e o Aquário Vasco da Gama, em Lisboa, o Fluviário de Mora, os vários zoos, com destaque para o Jardim Zoológico de Lisboa ou o Badoca Safari Park, no Alentejo, são alguns dos mais conhecidos. Tal como o Zoomarine no Algarve, que faz a ponte entre um parque temático e os concorridos parques aquáticos que abundam na região, mas se espalham um pouco por todo o país:  Nazaré, Amarante, Pombal ou Santa Cruz, na Madeira, são algumas das localidades onde se podem encontrar piscinas e escorregas de todos os tamanhos e feitios com diversão garantida para todos. Mas podem divertir-se também, e aprender, nos vários Centros de Ciência do continente e ilhas, onde sobressaem o Planetário Calouste Gulbenkian e o Pavilhão do Conhecimento, ambos em Lisboa. São ainda muito procurados o Museu da Marioneta em Lisboa, os museus do brinquedo e os centros de equitação que se encontram por todo o país ou o Portugal dos Pequenitos que, em Coimbra, atrai crianças desde há muitas gerações.

Um bom momento para os mais novos também pode ser um piquenique no Parque do Campo Grande ou de Monsanto, em Lisboa, no Parque da Cidade ou de Serralves, no Porto, e em tantos outros de norte a sul de Portugal. Assim como um passeio de burro. Ou  de barco. Porque não ir ver os golfinhos no estuário do Sado? Até a história pode ser palco para umas férias em cheio quando, num castelo, pais e filhos aprenderem algo das batalhas que ali se travaram, ou perceberem melhor a vida de reis e princesas num dos vários palácios que podem visitar.

Mais ou menos didáticas, mas sempre animadas, as crianças vão adorar participar em atividades à sua altura, com ou sem a companhia dos pais. 


Páscoa em Portugal

Com dias de sol a lembrar o verão que se aproxima, a Páscoa é uma excelente altura para visitar Portugal.

Para passear na praia com temperaturas que por vezes já convidam a banhos de sol e mar, sobretudo no Algarve e na Madeira. Ou para mergulhar na natureza que se renova na primavera numa explosão de cores e aromas a descobrir nos Parques Naturais no Norte e Centro, no Alentejo ou nas ilhas dos Açores.

E porque não aproveitar para fazer umas compras, procurar as novas tendências e coleções nas boas lojas de Lisboa e do Porto? Ou para apreciar as especialidades gastronómicas como as amêndoas cobertas de açúcar ou chocolate e os deliciosos folares. E ao almoço no domingo de Páscoa há que fazer como em boa parte das casas portuguesas e saborear o cabrito assado no forno.



Mas a Páscoa é uma quadra de profundo significado católico que em Portugal se celebra por todo o país. Em Braga a semana santa vive-se com toda a solenidade da Igreja e tem como momentos altos a 5ª Feira Santa (Última Ceia e cerimónia do lava-pés), a 6ª Feira Santa (dia da crucificação e morte de Jesus Cristo), o Sábado de Aleluia (ascensão aos céus) e o próprio Domingo de Páscoa (Ressurreição). Já em Óbidos recriam-se os últimos momentos da vida de Cristo na Via Sacra, e em Castelo de Vide as tradições judaicas enriquecem as celebrações.



Noutros pontos do país há outros motivos para festejar. Em Loulé, são as Festas da Mãe Soberana que atraem muitos visitantes e em Constância as coloridas procissões de barcos nas Festas da Senhora da Boa Viagem. E estas são apenas algumas sugestões de visita, mas decerto irá encontrar muitas mais! E que tal agendar já a sua viagem?


Páginas

Pesquisa avançada
Planeamento Veja os favoritos que selecionou e crie o seu Plano de Viagem ou a sua Brochura.
Esqueceu a sua password?
Faça login através de redes sociais
*Aguarde por favor. *As instruções de recuperação de password serão enviadas para o seu e-mail. *E-mail não enviado. Tente novamente.
Faça login através de redes sociais

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência de navegação e não guarda dados identificativos dos utilizadores.
Poderá desativar esta função na configuração do seu browser. Para saber mais, consulte os Termos de Utilização

close